Sleeping Giants faz campanha para retirar anunciantes do X

Buscar

Sleeping Giants faz campanha para retirar anunciantes do X

Buscar
Publicidade

Mídia

Sleeping Giants faz campanha para retirar anunciantes do X

Com o nome de #DesmonetizaTwitter, ação acontece após críticas de Elon Musk a medidas judiciais brasileiras


10 de abril de 2024 - 7h28

Sleeping Giants X

(Crédito: Divulgação)

Depois de Elon Musk, proprietário do X, ter usado a rede social para questionar decisões da justiça brasileira, o Sleeping Giants deu início a uma campanha para tentar conscientizar os anunciantes a não investirem mais na plataforma.

Com o nome de #DesmonetizaTwitter, a campanha, que faz uso do nome original da rede social, tem como objetivo cobrar diretamente às marcas que anunciam no X a reverem suas iniciativas de marketing.

A ação segue o propósito do Sleeping Giants, que surgiu em 2020 e já realizou campanhas e ações para conscientizar marcas a não veicularem publicidade em meio a conteúdos que propagam notícias falsas ou desinformação.

Neste episódio, o Sleeping Giants faz uma crítica direta a postura de Elon Musk. Além disso, o movimento também quer ampliar a conscientização sobre o chamado PL das Fake News, que tramita na Câmara e que prevê a regulamentação da atuação de plataformas digitais no Brasil.

Elon Musk X STF: o que aconteceu?

O tema da regulamentação das redes sociais e de suas possíveis implicações à liberdade de expressão voltou à tona no fim de semana, quando Elon Musk usou seu perfil no X para criticar nominalmente o ministro Alexandre de Moraes e as determinações da justiça brasileira.

Musk republicou uma postagem feita pela conta institucional do X, que dizia que a plataforma “foi forçada, por decisões judiciais, a bloquear determinadas contas populares no Brasil”.

O proprietário do X chegou a dizer que liberaria os perfis que estão restringidos por medida judicial e que tal decisão violaria a Constituição Brasileira e a liberdade de expressão.

Como resposta, o ministro Alexandre de Moraes incluiu Elon Musk no inquérito das chamadas Milícias Digitais e pediu apuração da conduta do empresário em relação a crimes de obstrução de justiça.

Posteriormente, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luís Roberto Barroso, divulgou uma nota oficial em que destaca que “qualquer empresa que opere no Brasil está sujeita à Constituição Federal, às leis e às decisões das autoridades brasileiras.”

Publicidade

Compartilhe

Veja também

  • Nova plataforma de streaming do SBT já tem 5 patrocinadores

    Nova plataforma de streaming do SBT já tem 5 patrocinadores

    Com previsão de lançamento para o segundo semestre, +SBT terá acesso gratuito ao público e exibição de anúncios publicitários

  • Warner Bros Discovery e SBT preparam programação especial para a final da Champions

    Warner Bros Discovery e SBT preparam programação especial para a final da Champions

    Com grade diferenciada e cobertura extensa de pré e pós jogo, emissoras trazem programas, boletins e novidades para marcas