Com R$ 10 mi, Petrobras retoma patrocínio à música

Buscar

Marketing

Publicidade

Com R$ 10 mi, Petrobras retoma patrocínio à música

Chamada Pública contemplará propostas nas categorias Circulação de Shows, Festivais e Projetos Especiais Inovadores

Teresa Levin
5 de dezembro de 2018 - 10h16

Companhia de dança da Deborah Colker é um dos projetos apoiados há anos pela Petrobras (Crédito: Divulgação)

Após seis anos sem realizar uma Chamada Pública na área cultural, a Petrobras anuncia a retomada de seus investimentos no Programa Petrobras Cultural com um aporte de R$ 10 milhões em projetos de música. Com ênfase em inovação e formatos contemporâneos de engajamento do público, a Chamada contemplará três categorias: Circulação de Shows, Festivais e Projetos Especiais Inovadores. Os projetos podem ser apresentados até 4 de janeiro de 2019 e devem ser executados a partir de julho.

“Repensamos a nossa atuação junto aos patrocínios culturais procurando uma ação mais focada. Fizemos uma revisão do Programa Petrobras Cultural focando agora nos segmentos de música, audiovisual e artes cênicas”, revela Diego Pila, gerente de patrocínios e eventos da Petrobras. Ele lembra que em 2012 foi realizada a última Chamada Pública em âmbito nacional e, depois disso, houve apenas uma voltada para o estado de Minas Gerais em 2014. “Desde então tivemos um período conturbado por uma série de razões, inclusive questões ligadas à Lei Rouanet e à crise de imagem da Lava-Jato. Fizemos uma reestruturação interna e agora temos esta retomada”, fala. Após esta Chamada Pública voltada para a área musical, já estão previstas uma destinada a artes cênicas, que será realizada no primeiro semestre de 2019, e uma voltada ao audiovisual, no segundo semestre do ano que vem.

Nesta etapa destinada ao segmento musical, a categoria “Circulação de Shows” terá duas faixas: a “Novos Talentos” contempla projetos até R$ 350 mil, com pelo menos quatro shows em três estados diferentes. Já a faixa “Grande circuito” é destinada a projetos entre R$ 350 mil e R$ 1 milhão, com o mínimo de sete shows em quatro estados. No caso dos “Festivais”, uma faixa patrocinará projetos de até R$ 600 mil, para realização de duas edições. A outra faixa contempla projetos entre R$ 600 mil e R$ 1,2 milhão, também para duas edições. Por fim, a categoria “Projetos Inovadores” tem verba de até R$ 2 milhões para iniciativas que apresentem novos formatos e tecnologias em plataformas digitais, incluindo experiências de realidade virtual ou aumentada, exposições interativas, cobertura virtual de turnês e/ ou canais de música.

“A ideia com as chamadas públicas é poder fazer as seleções que fazíamos em processos mais curtos, de forma mais dinâmica, para que a gente consiga realizar várias chamadas por ano”, observa Milton Bittencourt, gerente de patrocínios culturais da Petrobras.   O gerente de patrocínios e eventos da empresa acrescenta que, no caso da área musical, a empresa tem duas formas de selecionar projetos. “Através da escolha direta, que envolve projetos de maior porte e que tem grande histórico de associação com a Petrobras como o Grupo Corpo, a Companhia de Dança Deborah Colker e a Orquestra Petrobras Sinfônica, entre outros, que tem de 15 a 30 anos de associação com a marca. Mas é importante oxigenar a nossa carteira de patrocínios com novos projetos que muitas vezes não são visíveis para nós que trabalhamos com gestão de patrocínio cultural, por isso a retomada das Chamadas Públicas é importante, torna o processo mais democrático e transparente”, explica Diego Pila.

Ele acrescenta que há a intenção de comunicar estes patrocínios ao grande público com ações de comunicação. “Temos incrementado internamente o conceito de que é necessário dar visibilidade para os patrocínios que a Petrobras realiza, sejam culturais, esportivos ou eventos tecnológicos, nas áreas de ciência e tecnologia”, diz. Isso porquê, continua, é importante que o público entenda que estas iniciativas não fazem parte de uma doação, mas sim um investimento. “Esperamos um retorno de imagem e reputação. Estamos conversando internamente para incrementar os investimentos na ativação de patrocínio, para extrairmos o máximo de resultados possíveis destas atividades”, revela.

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • Diego Pila

  • Milton Bittecourt

  • Deborah Colker

  • Petrobras

  • música

  • eventos

  • Cultura

  • marketing cultural

  • Patrocínios

  • Danca

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”