Board do WPP decide descontinuar operações da holding na Rússia

Buscar

Board do WPP decide descontinuar operações da holding na Rússia

Buscar
Publicidade

Comunicação

Board do WPP decide descontinuar operações da holding na Rússia

Maior holding global de comunicação comunica, nesta sexta-feira, 4, que manter atividades em solo russo seria incoerente com princípios do grupo


4 de março de 2022 - 14h30

Nota atualizada em 04/03/2022 às 15h27

O board do WPP anunciou, nesta sexta-feira, 4, a decisão de descontinuar as operações da holding na Rússia em apoio à Ucrânia. O comunicado atesta que o grupo condena a invasão russa por ter criado uma crise humanitária no continente europeu.

O WPP agradeceu aos 1.400 funcionários russos e lamenta o impacto que a decisão terá sobre a vida desses profissionais. “Ofereceremos apoio a eles e trabalharemos muito próximos aos nossos clientes e parceiros à medida que descontinuamos as atividades no país”, explica a companhia.

Hoje, operam em Moscou agências como VMLY&R, Wunderman Thompson e GroupM.

O documento também ressalta que a equipe de 200 pessoas do WPP na Ucrânia demonstrou “coragem e resiliência extraordinárias” em face do ataque que a nação está recebendo.

O grupo fez uma parceria com a UNHCR, agência de refugiados, para fazer arrecadações de emergência para ajudar as pessoas que foram obrigadas a saírem de suas casas em busca de segurança. Os funcionários do WPP também estão fazendo doações.

Também nesta sexta-feira, a Ascential, detentora do Cannes Lions, afirmou que não aceitará participação de empresas russas no festival deste ano.

Profissionais ucranianos, em contrapartida, terão acesso gratuito à edição 2022 do evento, e agências ucranianas que já tenham inscrito trabalhos no prêmio serão reembolsadas. A organização também fará doações a entidades de caridade que vêm realizando ações humanitárias na Ucrânia.

Na quinta-feira, 3, a Accenture, maior consultoria de negócios do mundo, anunciou que também interromperá atividades em solo russo, onde tem uma equipe de 2.300 pessoas. Embora não tenha funcionários na Ucrânia, a companhia vai doar US$ 5 milhões para organizações que estão ajudando as vítimas da guerra.

Outras holdings se posicionam

Já o Publicis Groupe informou, por meio de um comunicado interno enviado na terça-feira, 1, que os 350 funcionários ucranianos da holding têm seus salários garantidos até o final de 2022 – e o pagamento de março foi adiantado.

“Embora essas medidas financeiras possam resolver apenas uma pequena parte da realidade turbulenta que vocês vivem hoje, esperamos que isso dê algum senso de segurança e ajude-os a prover para seus familiares e permita que vocês consigam planejar e recuperar o controle sobre suas vidas”, disse Arthur Sadoun, CEO e chairman do grupo.

Philipe Krakowsky, do IPG, informou que a holding estava em contato com a equipe no local para assisti-los. O grupo norte-americano também fez doações à Cruz Vermelha e ao Médicos Sem Fronteiras para ajudar os cidadãos ucranianos.

Já o grupo Dentsu disse que está monitorando os conflitos, mas que as operações da companhia na Rússia continuam. “Estamos focados em apoiar nossos clientes para minimizar qualquer possível efeito nas atividades comerciais deles”. Na Ucrânia, a Dentsu International opera em afiliação com outras empresas e afirmou que está em contato com as lideranças locais para dar apoio à equipe.

Publicidade

Compartilhe

Veja também

  • Projeto propõe banco de imagens com mais brasilidade

    Projeto propõe banco de imagens com mais brasilidade

    Iniciativa "Brasil com S" busca ampliar a representação mais verdadeira do País no mercado publicitário

  • Ford promove encontro de gerações para celebrar Mustang

    Ford promove encontro de gerações para celebrar Mustang

    Marca encena disputa entre verão antiga e moderna do veículo em comercial criado pela Wieden+Kennedy