Sorrell: “Clientes querem controle de novo”

Buscar

Comunicação

Publicidade

Sorrell: “Clientes querem controle de novo”

Primeiro relatório financeiro da S4 Capital aponta crescimento graças a aquisições de MediaMonks e MightyHive


19 de março de 2019 - 11h26

Por Megan Graham, do Advertising Age

A S4 Capital divulgou, na segunda-feira, 18, seu primeiro relatório financeiro desde que começou a operar, em maio de 2018. Os números, um consolidado do desempenho da empresa junto com as respectivas aquisições – MediaMonks e MightyHive –, mostram um aumento de 58% de 2017 para US$ 181,5 milhões.

Fundada por Martin Sorrell, a operação comprou a MediaMonks em julho e a MightyHive em dezembro. A empresa conta com cerca de 1200 funcionários espalhados por 16 países e conta com a entrada de novos negócios como Bayer, Mondelez, Nestlé e P&G.

A companhia afirma que sua força está na oferta de first-party data combinada a conteúdo digital e uma estrutura única de lucros e perdas com posicionamento “faster, better, cheaper”.

“Com esse ambiente, o que os clientes querem fazer é ficar no controle de novo. Essa é a linha que os favoráveis ao Brexit utilizaram muito bem na campanha do referendo no Reino Unido há dois, três anos. Penso que é exatamente a mesma coisa com os clientes. Eles querem retomar o controle pelo destino deles… eles sentem que têm de exercer controle e o campo de batalha é first-party data e dados em geral, ter controle disso e se as plataformas não estão dispostas a compartilhar esses dados… o que os clientes vão fazer é tentar desenvolver o próprio first-party data e estamos intimamente envolvidos em tentar fazer isso com eles”, disse Sorrell.

Wesley ter Haar, fundador da MediaMonks e membro do board da S4, afirmou na segunda-feira, 19, após a divulgação do relatório, que a produtora acredita que o modelo tradicional ainda é muito focado em “assets heróis”, em muitos casos comerciais de TV, e que o esforço que vai para a criação de conteúdo para o resto do ecossistema de mídia fica menos envolvido.

“Achamos que ideias são muito importantes. Mas não achamos que atualmente estejamos em um cenário em que é tudo sobre uma única grande ideia. É um framework criativo e dentro dele estamos hiper segmentados, impulsionados por dados personalizados, constantemente testados, otimizados em todos esses diferentes canais de compra de mídia… então é menos sobre uma grande ideia e mais sobre ideias menores, hiper segmentadas e conectadas ao contexto do canal em que são distribuídas”.

MightyHive e MediaMonks também exemplificaram como estão trabalhando com clientes. Para a série Narcos, de Netflix, a MediaMonks enxergou a necessidade por conteúdo em um cenário de budgets estagnados e em queda. Ele disse que com essa tendência vem um foco em criação data-driven. Para Narcos, ele disse que a empresa está usando sinais de first e third-party data junto com um framework criativo para criar “um milhão e meio de diferentes possibilidades de anúncios segmentados”.

Ele disse que isso está reduzindo o budget em 40% e irá reduzir o tempo de produção de 12 para quatro semanas, além de impulsionar o desempenho dos anúncios, já que são mais segmentados e personalizados.

 

* crédito da imagem no alto: chombosan-iStock

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • Martin Sorrell

  • MediaMonks

  • S4 Capital

  • Mightyhive