Dream Factory investe em papel mais estratégico

Buscar

Comunicação

Publicidade

Dream Factory investe em papel mais estratégico

Agência do Grupo Artplan assume novo posicionamento, agora com foco em comunidades

Teresa Levin
1 de outubro de 2019 - 11h15

Dream Factory aposta em papel mais estratégico junto às marcas (Crédito: Divulgação)

Se antes se apresentava como uma agência especializada em live marketing e em projetos proprietários, a Dream Factory anuncia um reposicionamento e passa a operar como uma empresa de experiências ao vivo que cria conexões emocionais com comunidades e engajamento com as marcas. Com 18 anos de mercado, ela faz este movimento para assumir um papel mais estratégico junto às marcas, participando diretamente da elaboração de projetos de comunicação para os anunciantes. A ideia é oferecer um trabalho integrado, com um mapeamento de comportamentos, tendências e aspirações dos consumidores, com base em inteligência e análise de dados.

“Queremos focar em gestão estratégica de comunidades, criando conexões e engajamento entre marcas e públicos, a partir deste lugar da comunicação que é derivado natural da nossa história”, observa Duda Magalhães, presidente da Dream Factory. A intenção é enxergar os eventos como um momento das comunidades, pontuais, e aproveitar a conversa que existe nestes grupos ao longo do ano. “Na Maratona do Rio, por exemplo, vemos um momento da comunidade de corredores, há uma conversa ao longo do ano e é nela que quero ser especialista”, diz. Este movimento exige um maior conhecimento de dados e levou a agência a ampliar suas expertises em disciplinas como business intelligence, digital, mídia, CRM e conteúdo.

“Com esta relação com comunidades como a de corredores na Maratona do Rio, temos dados que nenhuma pesquisa entrega. A comunicação deixa de ser o centro da conversa e a experiência ocupa este lugar”, comenta Claudio Romano, CEO da Dream Factory. Ele acrescenta que, com este novo posicionamento, a ideia é sentar com os clientes na elaboração das estratégias das marcas, levando para eles toda esta expertise em comunidades que a agência tem e incrementará com os investimentos feitos a partir de agora.

Na esteira destas mudanças, a empresa passa a ser dividida em duas áreas: a Dream Brands, que reúne suas marcas proprietárias com foco em comunidades, e a Dream Experience, que desenvolve jornadas integradas de comunicação para marcas. Parte das alterações agora efetivadas vem após a incorporação da Gael pela Dream Factory no começo do ano que levou Gaetano Lops, proprietário da Gael, a assumir o posto de vice-presidente da área Dream Experiences.  Nesta nova etapa, também chega à agência Fernanda Cozac, para dirigir o braço Dream Brands.

Seguindo este movimento que leva o foco do trabalho da Dream Factory para comunidades e a construção de plataformas de comunicação para marcas, a empresa também firmou recentemente parcerias com empresas que tem um trabalho sólido junto a públicos específicos. Na última semana, anunciou uma sociedade com a Bex, de Brenda Valansi, que está à frente da ArtRio. Anteriormente, também se tornou sócia da Dunas Race, que desenvolve o Rally dos Sertões; com estes movimentos, a agência quer oferecer um portfólio mais completo para as marcas.

Hoje a Dream Factory tem sua sede no Rio de Janeiro mas conta também com unidades em São Paulo e Brasília. Integrante do Grupo Artplan, ela está a frente de projetos como Maratona do Rio, Montreux Jazz Festival e Árvore de Natal do Rio, além de ter feito as últimas dez edições do carnaval de rua do Rio e as últimas cinco de São Paulo.

 

 

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • Brenda Valansi

  • Duda Magalhães

  • Dream Factory

  • Dunas Race

  • GRupo Artplan

  • bex

  • ArtRio

  • Rally dos Sertões

  • Maratona do Rio

  • Agencias

  • marketing

  • comunicacao

  • eventos

  • marcas

  • estratégia

  • comunidades