Papel & Caneta: 30 jovens que promoveram transformações

Buscar
Publicidade

Comunicação

Papel & Caneta: 30 jovens que promoveram transformações

Lista anual do projeto Papel & Caneta destaca iniciativas independentes de jovens que lutam por um mercado mais acessível e diverso

Isabella Lessa
8 de dezembro de 2020 - 17h01

Papel & Caneta lança lista dos 30 jovens que capitanearam iniciativas para transformar o mercado em 2020 (Crédito: Divulgação)

Nesta terça-feira, 8, o Papel & Caneta divulgou a quarta edição da lista anual de jovens que, por meio de projetos independentes, solo ou coletivos, contribuíram para a transformação da indústria de comunicação e marketing.
Neste ano, a compilação, que conta com o apoio da Flacgcx, destacou um grupo de profissionais formado por 19 mulheres e 11 homens. A dupla Maria Fiuza e Ligia Fava, que juntou 130 líderes do Brasil e do mundo para ajudar estudantes no começo da pandemia, e o redator Felipe Silva, fundador da Escola Rua, instituição dá acesso a aulas gratuitas sobre publicidade, estão entre os selecionados deste ano.

Antes de a lista ser divulgada, o Papel & Caneta promoveu, com apoio da Flagcx e da produtora Santa, um encontro com os 30 jovens no Zoom, para que todos pudessem se conhecer e falar sobre suas trajetórias. Um pouco sobre a mensagem de cada um pode ser visto neste filme:

Confira a lista completa:

Matheus Silva, criador do vídeo “Cara Gente Branca do Mundo da Comunicação”, que expõe as desigualdades e o racismo presentes no mercado

(Crédito: Divulgação)

Amanda Abreu, Daniele Mattos e Verônica Dudiman, fundadoras da consultoria Indique uma preta, que ganhou ainda mais visibilidade ao ser procurada pela Magazine Luiza, quando a companhia decidiu abrir um programa de trainee para jovens negros

Denise Saito, que lançou em julho a Freela School, com o intuito de ajudar a profissionalizar a atividade de freelancer

Felipe Silva, fundador da escola Rua, instituição de ensino de publicidade que oferece aulas gratuitas para jovens moradores de regiões periféricas


Bruna Porto e Amanda Damaris, do projeto #BlackIn, apoiado pela Mutato, que busca atrair visibilidade aos perfis de profissionais negros no LinkedIn

Maria Fiuza e Ligia Fava, criadoras do Tapa na Quarentena, que convocou 130 publicitários de diversas partes do mundo para ajudar estudantes e montar seus portfólios

(Crédito: Divulgação)

Lucas Schuch, da pesquisa Home Office: tá bom para todo mundo? Mesmo?, que ouviu 435 profissionais de agências sobre efeitos negativos provocados pela rotina de home office

Ketyanne Silva, do Planilhas de pretos, que ajuda pessoas negras da publicidade a se conectarem

Camila Rodrigues, do PorTips, perfil do Instagram criado para criativas em início de carreira

Tiago Tuiuiú, do Projeto Quadros, áudio-documentário que aborda a meritocracia na indústria

Marianna Souza, uma das idealizadoras do movimento Corta!, criado pela Apro com o objetivo de falar do fim do assédio no mercado audiovisual

Letícia Rodrigues, Irina Didier e Flávio Salcedo, criadores do PerifaLions, concurso para estudantes de comunicação social e design que oferece vagas de estágio, bolsas, intensivão de inglês e uma ida para o Festival de Cannes

Gláuber Sampaio, um dos fundadores da Aprender Design, escola remota de projetos de design

Gustavo Borges, cofundador do estúdio criativo MusgUrbanu!, que fez uma denúncia pública ao Brasil Design Award pela falta de pessoas negras no júri

(Crédito: Divulgação)

Daniela Arrais, da série Fala que eu não te escuto, jornalista, que fala sobre a síndrome de impostora que acomete profissionais mulheres

Guilherme Dresch, Gustavo Novais, Júlia Teodoro, Marcelo Honorio, Larissa Araújo, Laise Alves, Tamiris Cruz, Igor Pinheiro e Larissa Santos, idealizadores do podcast AfroPausa, dedicado a conversas sobre diversidade na publicidade e outros temas

A lista também pode ser acessada pelo site do Papel & Caneta no Medium.

*Crédito da imagem no topo: iStock

Publicidade

Compartilhe

Veja também