Conheça a Mirum, agência campeã do Great Place to Work

Buscar

Comunicação

Publicidade

Conheça a Mirum, agência campeã do Great Place to Work

Líder do ranking pelo quarto ano consecutivo, agência aposta em comunicação transparente e envolvimento das lideranças

Taís Farias
22 de janeiro de 2021 - 6h53

No início da semana a consultoria global Great Place to Work apresentou a nona edição do ranking de Melhores Agências para se trabalhar. A análise avaliou o ambiente de trabalho de 81 empresas do segmento, por meio de questionários quantitativos, comentários e a avaliação de cultura e práticas das organizações. Para o levantamento, foram analisados uma série de critérios, como a qualidade de vida, oportunidade de crescimento profissional, além da presença de valores fortes.

 

Colaboradores da Mirum, em 2019 (Crédito: Divulgação)

“Os profissionais estão buscando lugares diversos e empresas que se preocupem verdadeiramente com a questão, principalmente no mercado publicitário”, contou Victor Barros, diretor responsável pelo ranking de Agências no Great Place To Work, em entrevista ao Meio & Mensagem, sobre um ano tão marcado por pautas identitárias.

O resultado não foi exatamente uma novidade. A Mirum, agência full digital do grupo Wunderman Thompson, liderou o ranking pelo quarto ano consecutivo. Com sede em Curitiba e São Paulo, a agência conta com mais de 300 colaboradores e atende clientes como Sky, Grupo Caoa, Cyrela, Magazine Luiza, Porto Seguro, O Boticário, Bayer, Losango e Pernod Ricard. Entre as movimentações de destaque do ano passado, a Mirum ampliou seu atendimento às contas de Pernod Ricard, com sete marcas, e Volvo.

Comunicação transparente

Para Nadia Sousa, diretora de RH da Mirum, o destaque no ranking é resultado de fatores, como o engajamento das lideranças em promover uma cultura organizacional forte, a construção de um fluxo de comunicação constante com os funcionários e, principalmente, a consistência da agência nesse trabalho. Ela explica que desde 2012 a gente se dedica a buscar maneiras de horizontalizar o contato com seus colaboradores para entender as demandas e melhorhr a qualidade de trabalho.

O objetivo desse movimento é não só atrair talentos, como também aumentar a satisfação e produtividade de seus colaboradores. Na prática, essa cultura se materializa por meio de muita conversa. A agência é adepta do tradicional programa de feedback, no qual mensalmente as lideranças são responsáveis por conversar com seus funcionários sobre seu desempenho e atuação. Além disso, a Mirum promove grupos para falar com os times sem a presença de seus superiores e entender as necessidades e o clima da equipe, sem possíveis interferências.

Para aproximar os colaboradores da figura de liderança, semanalmente a empresa promove uma reunião geral com o seu CEO. Nadia explica, no entanto, que para esses formatos funcionarem é preciso criar um ambiente de confiança onde o funcionário possa falar sem sofrer nenhum tipo de retaliação. “Ter canais onde você possa ouvir o colaborar e, de fato, agir em cima disso é fundamental”, aponta a diretora de RH.

Assédio e diversidade

Desde 2018, a agência também endureceu sua postura de repúdio ao assédio moral e sexual no ambiente de trabalho. A Mirum convidou o Grupo de Planejamento para apresentar sua pesquisa sobre o tema e oferecer um treinamento aos funcionários. A empresa também criou um manual e um canal de denúncias anônimo, onde os colaboradores podem relatar qualquer tipo de acontecimento. Além disso, a agência promoveu uma qualificação para as lideranças sobre masculinidade tóxica no trabalho.

Foi a partir desse esforço da área de recursos humanos, no fim de 2018, que nasceu o Soma, grupo de diversidade da empresa que se propõe a promover o respeito para qualquer grupo minoritário dentro da agência. A entidade conta com uma série de co-líderes que representam grupos, como mulheres, PDCDs, LGBTs e negros. Em contato com esses times, a agência é responsável por pautar e promover ações de conscientização constantes. Mensalmente, os grupos têm espaço para promover discussões durante a conversa geral, com toda a empresa.

Dentro do RH, os gestores têm metas para aumentar o número de colaboradores que pertencem a grupos minoritários. Para isso, o grupo conta com parcerias e promove treinamentos para sua liderança. Em 2021, o foco da agência será a contratação de pretos em todos os níveis.

 

Nadia Sousa: “Ter canais onde você possa ouvir o colaborar e, de fato, agir em cima disso é fundamental” (Crédito: Divulgação)

Saúde mental e pandemia

Ainda em 2019, a agência sentiu a necessidade de trazer a discussão sobre saúde mental para dentro de sua estrutura. A solução encontrada pela Mirum foi o programa Integrar, que colocou dois psicólogos, dentro da agência à disposição dos funcionários, uma vez por semana. Os profissionais também realizavam palestras e treinamentos na empresa. “Quanto mais multidisciplinar nós formos, mais vamos conseguir olhar esse profissional como um ser integral”, explica Nadia.

“Em 2020, o desafio foi trazer isso para o online”, conta a diretora de RH sobre a realidade da pandemia. A Mirum aderiu ao home office no início da pandemia, em março, e permanece nesse modelo até agora. No ano passado, mais de 30 grupos online com as psicólogas foram realizados. A empresa também promoveu encontros virtuais com temas específicos, como maternidade na pandemia, para auxiliar as colaboradas.

Durante esses quase dez meses, os funcionários da Mirum estão recebendo um auxílio de custo mensal para suprir as despesas causadas pelo home office. A diretora de RH explica que, nesse momento, é importante cuidado personalizado. “Os nossos gestores estão próximos dos times, no dia a dia, para entender as necessidades de cada um e abrir as exceções necessárias”, afirma.

*Crédito da foto no topo: Eugenesergeev/iStock

Publicidade

Compartilhe