Metrô: um novo caminho para a (publi)cidade

Buscar

Content Lab

Em parceria com

Metrô: um novo caminho para a (publi)cidade


7 de abril de 2019 - 19h55

Desde que o primeiro metrô foi construído em Londres, em 1863, esse meio se transformou em um transporte vital para o funcionamento de grandes cidades, afinal, são 15 mil quilômetros de linhas espalhadas pelo mundo. Esse também é um espaço que se mostra cada vez mais relevante para ações de Out Of Home (OOH) não só por sua extensão, mas também pela grande audiência, pela frequência e cobertura para campanhas e pelas oportunidades de interação para as marcas. Cerca de oito em cada dez passageiros no Brasil usam o metrô de cinco a sete vezes por semana, o que permite a criação e a construção de storytelling com eficiência.

Uma pesquisa realizada pela JCDecaux Global, líder em publicidade no metrô com 55 concessões no mundo, apontou que 63% dos usuários desse tipo de transporte acreditam que a publicidade dá a eles algo para ver durante o seu trajeto, enriquecendo a jornada. O estudo, realizado com 2,1 mil passageiros em cinco países, mostrou que 72% dos entrevistados interagem com telas; 79% com cartazes e 80% usariam um escâner de códigos de barra — reforçando, portanto, a disposição de interação nesse meio. Além disso, 63% gostam de ver anúncios que os entretenha.

André Cais, Head Comercial de Metrô da JCDecaux Brasil

“A tendência global da digitalização do OOH nos trouxe um universo de novas possibilidades. Estamos impulsionando cada vez mais o pensamento de ações integradas com telas, mobile e digital, sempre prezando pela melhoria da experiência do usuário”, afirma o Head Comercial de Metrô da JCDecaux Brasil, André Cais. Mundialmente, o Digital Out Of Home (DOOH) deve faturar US$ 16 bilhões em 2019, trazendo inovações como o uso em tempo real de telas interativas, realidades imersivas, eye tracking e conteúdo inteligente por meio da veiculação condicionada a fatores externos (eventos, clima, horários). Recentemente, uma ação de Realidade Aumentada (RA) no metrô de Shangai, operado pela JCDecaux, trouxe o universo da moda para uma estação. Os passageiros puderam tirar selfies, inserir seu peso e altura e, por meio da tecnologia de RA, experimentar roupas de forma digital em telas interativas. Em seguida, eles tiveram a chance de baixar a imagem no celular e comprar os itens na loja.

No Brasil, a JCDecaux renovou o visual das três linhas que atende no metrô de São Paulo e trouxe inovação com equipamentos novos e alta tecnologia, que permitem justamente a integração com o digital e a interação com os usuários. Segundo Cais, o tempo médio de viagem de 60% dos usuários do metrô paulistano é de duas horas, o que representa um período considerável para estabelecer uma relação mais próxima com essa audiência. Atualmente, na capital paulista, existem perto de 7 milhões de passageiros em circulação nessas linhas. “Como se trata de um ambiente controlado, que oferece alto recall para as marcas, o metrô torna-se propício para que os passageiros sejam impactados: não há dispersão da mídia, as pessoas ficam mais atentas ao ambiente e dispostas a interagir”, conta.

Ainda este ano, a empresa – que atende às linhas azul, verde e vermelha da capital paulista, as quais representam 83% do fluxo de passageiros e 72% do total das estações em atividade – lançará o MAPA OOH. O sistema de métricas que oferece dados de audiência, alcance e frequência no planejamento de mídia, já apresentado para o mobiliário urbano do Rio de Janeiro e São Paulo no ano passado, agora chegará também ao metrô. “Todas essas iniciativas alinham-se com a mudança do comportamento do consumidor, que está cada vez mais em movimento. A melhoria da mobilidade urbana é uma tendência mundial e reforça o uso desse meio de transporte”, diz Cais. “O metrô, com todas as suas vantagens, é o ambiente ideal para criar uma conversa diária com grande parte da cidade”, finaliza.

Publicidade

Compartilhe