A reinvenção dos aplicativos de táxi

Buscar

Marketing

Publicidade

A reinvenção dos aplicativos de táxi

Com a regularização do Uber em São Paulo e a chegada de novas marcas, Easy Taxi lança serviço de carro privado e 99 muda posicionamento

Luiz Gustavo Pacete
22 de julho de 2016 - 8h22

Desde a última quarta-feira, 20, os serviços de carros privados como o Uber são obrigados a pagar taxas em São Paulo. A regulação da categoria, aprovada em maio, acelerou a chegada de concorrentes como Cabify, WillGo BlaBlaCar e Lyft forçando os aplicativos de táxi a se reinventarem.

Nesta quinta-feira, 21, a Easy Taxi, criada em 2011, uma das pioneiras na área de aplicativos de táxi, anunciou o lançamento do Easy Go, app para transporte com carros privados que vai concorrer diretamente com o Uber.

easy

A Easy Taxy ampliou para três categorias principais seus serviços

Em carta enviada na semana passada aos taxistas, Fernando Matias, CEO da Easy Taxi no Brasil, afirmou que o objetivo de criar um serviço para motoristas parceiros é de “recuperar os passageiros que foram perdidos para os novos concorrentes”. Matias ressaltou, no entanto, que o serviço de táxi continua sendo fundamental.

Em coletiva de imprensa transmitida via Periscope, nesta quinta-feira, 21,Matias confirmou que corridas pelo Easy Go serão até 40% mais baratas do que nos táxis. “Claro que isso dependerá da relação entre tempo e quilometragem, mas pode chegar a esse percentual”, ressaltou. Diferentemente do Uber, o Easy Go aceitará pagamento em dinheiro, débito e crédito e cobrará uma taxa de 20% dos motoristas. O novo aplicativo já tem seis mil pré-inscritos.

No mesmo rumo segue a 99 Taxis que, em julho, lançou uma campanha para divulgar a mudança de posicionamento da empresa, que passou a se chamar apenas 99. Para marcar o início da nova fase, a startup divulgou um filme manifesto, com planejamento e criação da Africa. O novo conceito visa reforçar o caráter colaborativo da empresa, e reforçar sua presença entre os usuários.

De acordo com Maria Elisa Silva, diretora de marketing da 99, para fazer frente à concorrência do Uber e outros aplicativos, a empresa continua investindo nos seus diferenciais, que são as categorias 99 TAXI e 99 TOP, serviço de alto padrão implementado em janeiro em São Paulo com táxis pretos que têm acesso aos corredores de ônibus, além da opção de táxi com suporte para bicicletas.

O Uber no Brasil

País com maior taxa de crescimento: 30% ao mês.

Empresa deve dobrar o número de funcionários para 100 até o fim do ano.

Até o fim do ano, 50 mil motoristas devem ser adicionados chegando a 60 mil.

 

“A 99 participa ativamente de todas as discussões com as autoridades públicas que visam avanços na regulamentação”, afirma Elisa. De acordo com ela, existe a intenção de implementar uma ferramenta de compartilhamento entre usuários num mesmo trajeto, algo semelhante ao serviço promovido pelo Uber Pool, mas, no momento, o foco da empresa é a expansão do serviço 99TOP para mais cidades.

A meta da empresa para 2016 é dobrar o número de usuários até o fim do ano, hoje em 10 milhões. Ainda nesta semana, a 99 anunciou que vai afastar quatro mil taxistas que receberam avaliações baixas. O corte atingirá cerca de 5% dos 80 mil motoristas que usam o aplicativo.

 

Publicidade

Compartilhe