Uma Nave leva a Natura ao seu primeiro Rock in Rio

Buscar

Marketing

Publicidade

Uma Nave leva a Natura ao seu primeiro Rock in Rio

Projeto multimídia “Nave – Nosso futuro é agora”, assinado por Marcello Dantas, tem painel de vídeo de 5.000 metros e deve receber 200 mil pessoas nos sete dias do festival

Roseani Rocha
26 de março de 2019 - 20h30

Roberta Medina, VP do Rock in Rio e Andrea Alvares, VP de marketing, inovação e sustentabilidade da Natura: trabalho a quatro mãos (Crédito: Divulgação Natura)

Quem entrar na Cidade do Rock, no Rock in Rio deste ano, irá se deparar com uma Nave. Trata-se da ativação da Natura em sua primeira participação como patrocinadora do festival. O projeto, que teve curadoria de Marcello Dantas — reconhecido por projetos multimídia como o Museu da Língua Portuguesa e o Catavento, ambos em São Paulo — foi apresentado nesta terça-feira, 26, na Casa Natura Musical em São Paulo.

Localizado no espaço do velódromo, ou seja, logo na entrada principal do Rock in Rio, o projeto “Nave – Nosso futuro é agora” é uma experiência imersiva de 15 minutos que comportará 2.400 pessoas em cada sessão (assista ao video abaixo). Nela, os organizadores propõem uma reflexão sobre o tempo e a falta de sincronia atualmente entre as pessoas e os ciclos naturais da vida. A experiência está dividida em cinco momentos: equilíbrio, aceleração, suspensão, reflexão e sincronização. O espaço tem um painel de telas de nada menos que cinco mil metros quadrados, o maior já feito no Brasil, segundo o Rock in Rio. Durante os sete dias do evento – 27, 28 e 29 de setembro; 3, 4, 5 e 6 de outubro – a expectativa é que passem pela instalação, que além dos efeitos visuais tem também recursos sonoros e olfativos, cerca de 200 mil pessoas.

“Muito mais do que ser uma opção de entretenimento, essa é uma experiência que carrega uma mensagem e uma parceria que será de longo prazo”, destacou Luis Justo, CEO do Rock in Rio. E Marcello Dantas explicou a conexão da música com a mensagem proposta: “Hoje, temos alguns poucos momentos de sincronia e a música é um deles, porque ela demanda que as pessoas estejam juntas, na mesma frequência para celebrar o encontro”.

Já a empreendedora social Denise Chaer, que ao lado de Roberta Medina, assina a concepção do projeto, lembrou que a proposta de agir por um mundo melhor está no festival desde seu surgimento, na década de 1980, quando dava vazão a um desejo de a juventude da época se expressar livremente, após um período de regime militar. E essa proposta também migrou, ao longo dos anos, para outras questões, como as de sustentabilidade ambiental, fomentadas pela vice-presidente do Rock in Rio Roberta Medina (em 2011, o festival neutralizou suas emissões de carbono).

“Temos previstas várias ações de agora até o festival e até mesmo depois do festival, em que vamos dando pinceladas tanto do que está por vir lá em termos de experiências, quanto propostas de mobilização e engajamento, como promoções. Iniciamos a conversa em novembro, quando iniciamos a parceria e agora formalizamos e terá mais vindo por aí”, afirmou Andrea Alvares, vice-presidente de marketing, inovação e sustentabilidade da Natura.

A executiva ressaltou que embora a parceria entre a Natura e um grande evento como o Rock in Rio pudesse causar estranhamento a alguns – apesar do histórico de 15 anos de envolvimento da marca com a música por meio do programa Natura Musical – a conexão entre ambos começou pela proposta de agir por um mundo melhor e as sinergias em termos de negócio, construção de marca e experiência também foram se acentuando ao longo das conversas de negociação do patrocínio. “Percebemos que tínhamos muito mais pontos em comum do que divergentes. E neste momento especial em que a companhia completa 50 anos e projeta intenções para os próximos 50, 100 anos, estar conectada com um evento que tem um público jovem, que fala de experiência e menos de comunicação é também uma sinalização de para onde devemos ir cada vez mais com a marca”, destacou Andrea.

 

 

Publicidade

Compartilhe