Estudo aponta queda de intenção de consumo em 2020

Buscar

Marketing

Publicidade

Estudo aponta queda de intenção de consumo em 2020

Relatório do Boston Consulting Group afirma que mais de 80% de entrevistados devem diminuir gastos até o fim do ano


12 de março de 2020 - 9h59

Estudo aponta que 40% dos consumidores pretendem aumentar gastos em categoria Comida e Saúde (Crédito: FG Trade/ iStock)

Neste ano, os consumidores brasileiros pretendem continuar a reduzir despesas, mas em ritmo mais lento do que em anos anteriores, aponta a consultoria Boston Consulting Group. Por outro lado, segundo a consultoria, uma parcela relevante dos consumidores está mais disposta a aumentar os gastos seletivamente, em especial com produtos de melhor qualidade.

O estudo ouviu três mil entrevistados em formulário digital durante o mês de dezembro. Ao todo, 81% dos entrevistados pretendem diminuir gastos, mas 73% do total pretende diminuir em até 10%, enquanto, no ano passado, a maioria pretendia economizar 40%.

A consultoria analisou, também, quatro categorias separadas. Em Beleza, Fashion & Acessórios, a porcentagem daqueles que querem elevar os gastos para adquirir produtos de maior valor saltou de 34% para 51%. Em Produtos para Casa, Serviços & Mídia, o índice cresceu de 41% para 59% e na categoria Comida & Saúde, o indicador foi de 32% para 40%. Viagem e Turismo apresentou mudança relevante, mas o estudo foi realizado antes da crise do novo coronavírus (Covid-19).

Seguindo o comportamento de comprar produtos com maior valor, a intenção de ampliação de compra (trade-up) mostra a crescente preocupação com alimentação saudável: 60% dos produtos alimentícios de maior trade-up nos últimos cinco anos possuem apelo saudável, como alimentos frescos, comida orgânica, peixe e frutos do mar, alimentos cultivados localmente e comida sem conservantes.

Os produtos com maior intenção de redução no consumo (trade-down) confirmam a preocupação com a alimentação saudável: refrigerantes, comida enlatada, salgadinhos, fast food e hambúrguer são os que mais sofrem com a tendência.

Jornada completa

O estudo identificou padrões na jornada do consumidor. Cada vez mais online, características como avaliações, preço, método de pagamento e promoções aumentam de relevância na decisão de compra do consumidor.

Entretanto, a preferência para efetuar a compra ainda é off-line: 64% optam por comprar em lojas físicas ou telefones. No entanto, algumas categorias já constatam alta penetração online, como Viagens, Turismo & Mobilidade (61%). Por outro lado, as áreas de Comida & Saúde são predominantemente off-line, preferência de 80% dos respondentes.

 

*Crédito da imagem no topo: benimage/iStock

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • Boston Consulting Group

  • Consumo

  • comida

  • Economia

  • saude

  • Higiene e beleza