WTW: A celebração das homenageadas de 2020

Buscar

Mídia

Publicidade

WTW: A celebração das homenageadas de 2020

Confira os discursos das sete homenageadas da oitava edição do Women to Watch, evento que celebra a força feminina dentro das organizações

Amanda Schnaider
15 de setembro de 2020 - 20h09

Da esquerda para a direita: Keka Morelle, Viviane Duarte, Ana Paula Castello Branco, Samantha Almeida, Gabriela Onofre, Sarah Buchwitz e Gleidys Salvanha (crédito: Eduardo Lopes)

O Women To Watch 2020, evento realizado desde 2013 no Brasil para celebrar força feminina dentro das organizações, aconteceu na tarde desta terça-feira, 15, e homenageou sete profissionais: Ana Paula Castello Branco, diretora de branding e comunicação da TIM, Gabriela Onofre, CMO e sócia da Acesso Digital, Gleidys Salvanha, diretora de negócios para varejo do Google Brasil, Keka Morelle, chief creative officer da Wunderman Thompson, Samantha Almeida, head do Twitter Next, Sarah Buchwitz, VP de marketing e comunicação da Mastercard e Viviane Duarte, CEO e fundadora do Plano Feminino.

No evento, realizado em São Paulo e transmitido pela primeira vez ao vivo nos canais digitais do Meio & Mensagem, essas sete mulheres receberam a homenagem que representa suas nomeações como Women to Watch. Primeira a subir ao palco do evento, Ana Paula Castello Branco, da TIM, agradeceu à sua família e àquelas pessoas que abriram portas para ela durante sua carreira como Karen Schwab, uma de suas primeiras chefes, e Pietro Labriola, presidente da TIM. Ana ainda deixou uma mensagem para as meninas e mulheres da próxima geração: “Chegar aqui não é fácil, tem muita luta, muita batalha, mas é possível. É preciso saber onde queremos chegar, fazer o nosso melhor e tratar os outros como a gente gostaria de ser tratado, e o resto acontece naturalmente. Mulheres trabalhem unidas, se ajudem, isso é fundamental”.

A segunda a agradecer pela indicação foi Gabriela Onofre, da Acesso Digital. A executiva afirmou que só chegou ali porque sempre teve inspiração, que começou em casa, com a sua família. “Sou muito grata a todas as mulheres que apoiam outras mulheres e é por isso que estou aqui, para outras mulheres poderem estar aqui. Contem comigo mulheres, porque sei que nem todo mundo teve a inspiração que eu tive, sou uma privilegiada de ter tido inspiração e apoio e hoje estou aqui com uma grande responsabilidade de ser essa inspiração e apoio para todas vocês”, finalizou seu discurso.

Já, Gleidys Salvanha, do Google Brasil, relembrou que o melhor jeito de nos prepararmos para a vida é agradecer todos os dias. Com isso, a executiva agradeceu principalmente ao Meio & Mensagem, aos líderes que teve ao longo da carreira, como como Marcos Quintela e Hugo Rodrigues e ao atual, Fábio Coelho (presidente do Google Brasil), além de sua família, em especial à sua filha. “Filha, esse mundo que começou com as nossas bisavós há de ser melhor e mais justo para você e para toda essa geração de mulheres. Contem comigo e muito obrigada”. disse.

A chief creative officer da Wunderman Thompson, Keka Morelle, começou seu discurso parabenizando suas companheiras de prêmio. Além disso, lembrou que o evento do Women to Watch é especial por ser a primeira vez que muitas pessoas estão encontrando outras pessoas após a quarentena provocada pela pandemia da Covid-19. “Esse dia é um dia muito especial, é um dia que com certeza vai ficar na minha memória, é um marco receber esse prêmio na minha trajetória”, afirmou. Por fim, Keka agradeceu às pessoas que estavam com ela nos momentos não tão especiais, nos dias comuns. “Por muitas vezes eu me vi através dos olhos dessas pessoas para acreditar que eu conseguiria chegar e fazer o que eu tinha que fazer”, completou.

“Caraca, Muleke”. Foi com essa frase de uma música do cantor Thiaguinho que Samantha Almeida, head do Twitter Next subiu ao palco do Women To Watch 2020. Durante todo seu discurso Samantha enfatizou a importância das pessoas negras serem reconhecidas neste mercado de comunicação. “Quando pensei em iniciar essa conversa me declarando como uma mulher negra é intencional porque, de uma certa forma, o nosso mercado é ainda muito distante dessa ferida aberta chamada racismo, racismo estrutural”, comentou. Além disso, a executiva reforçou que é fundamental contratar essas pessoas negras para que elas possam chegar ao estágio de serem homenageadas.“Não se constroem coisas maravilhosas se a gente não tem as primeiras oportunidades”.

Em seu discurso Sarah Buchwitz, da Mastercard, revelou que seu mantra sempre foi a frase da Xuxa “Querer, poder, conseguir” e que esse reconhecimento é um exemplo disso. “Ele é o resultado de muito esforço, amadurecimento, persistência, teimosia para enfrentar o destino e quebrar todas as estatísticas”. Além disso, Sarah agradece as pessoas que estiveram ao seu lado durante essa trajetória, principalmente a sua mãe e sua avó Amélia, retirante nordestina,  que cuidou de sete filhos. “Essa é uma homenagem para todas as Amélias do Brasil, que lutam todos os dias para dar uma vida melhor para os seus filhos”.

Por fim, Viviane Duarte, CEO e fundadora do Plano Feminino, subiu ao palco do Women to Watch 2020 para agradecer e, principalmente, alertar sobre como o mercado de comunicação por muito tempo se sustentou invisibilizando pessoas e dando nomes e sinônimos para o racismo e machismo. “Não dá para criar propaganda se você está sempre no mesmo lugar, com a mesma ótica. Tem que ter diversidade — e diversidade não é assistencialismo, diversidade é resultado”, conclui.

Confira o evento e discursos na íntegra:

**Crédito da imagem no topo: Reprodução

Publicidade

Compartilhe