Facebook bane anúncios que desencorajam a vacinação

Buscar

Mídia

Publicidade

Facebook bane anúncios que desencorajam a vacinação

Atualmente publicidade que defende ou vai contra a legislação ou políticas governamentais sobre vacinas ainda são permitidas


14 de outubro de 2020 - 17h51

O Facebook anunciou que proibirá propagandas na plataforma que desencorajam as pessoas sobre a vacinação, citando sua nova política que pretende prevenir “danos” aos esforços de saúde pública. Além disso, a companhia colocará material educacional sobre a vacina contra a gripe no feed dos usuários. Atualmente a rede social não permite anúncios que promovam boatos ou informações falsas sobre as vacinas.

 

O Facebook colocará material educacional sobre a vacina contra a gripe no feed dos usuários (crédito: reprodução)

Em blog, nesta terça-feira, o Facebook disse que “as autoridades de saúde pública recomendam que a maioria das pessoas tome a vacina contra a gripe todos os anos. Este ano, eles acham que é especialmente importante minimizar o risco de gripe simultânea e Covid-19”. A empresa ainda afirmou que anúncios que defendem ou que são contra a legislação ou políticas governamentais sobre vacinas — incluindo da Covid-19 — ainda são permitidos. Segundo o Facebook, qualquer pessoa que veicula esses anúncios deve ser autorizada e deve incluir um rótulo “pago por” para que as pessoas possam ver quem está financiando as mensagens.

A rede social já havia tentado minimizar a disseminação de informações antivacinação, quando parou de exibir postagens de vacinas nos resultados de pesquisa e começou a rejeitar anúncios com alegações enganosas sobre vacinas em 2019.

Postagens não pagas ou orgânicas que desencorajam o uso de vacinas ainda são permitidas, a menos que violem outra política do Facebook. As regras de publicidade do Facebook são geralmente mais rígidas porque a empresa está mostrando essas mensagens pagas às pessoas de forma proativa.

*Com informações da Bloomberg News

**Tradução: Amanda Schnaider

***Crédito da imagem no topo: Pixabay/Pexels

Publicidade

Compartilhe