Cenp-Meios registra movimento de R$ 12,2 bilhões até setembro

Buscar
Publicidade

Mídia

Cenp-Meios registra movimento de R$ 12,2 bilhões até setembro

Relatório aponta um investimento em compra de mídia 37% maior, de janeiro a setembro deste ano, na comparação com o mesmo período de 2020

Bárbara Sacchitiello
16 de dezembro de 2021 - 16h23

(Crédito: iStock)

As agências de publicidade que compõem a base do Cenp-Meios reportaram um investimento em mídia de R$ 12.203.063 de janeiro a setembro deste ano, de acordo com o mais recente relatório divulgado nesta quinta-feira, 16, pelo Conselho Executivo das Normas-Padrão (Cenp).

O relatório foi construído com base nas informações fornecidas por 291 agências de publicidade de todo o Brasil e aponta um investimento em compra de mídia 37% maior do que o registrado em 2020. O montante, no entanto, ainda é inferior ao registrado pelo Cenp-Meios de janeiro a setembro de 2019, antes da pandemia de Covid-19. Naquele ano, de janeiro a setembro, as agências haviam reportado um investimento em compra de mídia de R$ 12,524 bilhões

Em 2019, a amostra do Cenp-Meios foi elaborada com base nas informações fornecidas por 226 agências de publicidade. Já em 2020, o ranking foi realizado com os dados enviados por 217 agências. Já para os números de janeiro a setebro deste ano, houve um acréscimo das agências participantes, chegando a 291. É importante ressaltar que os valores somados pelo Cenp-Meios não representam o total do bolo publicitário brasileiro, pois incluem a movimentação financeira destinada à veiculação de publicidade que passa pelas agências certificadas pelo Cenp e participantes do projeto.

Digital em alta
Assim como no ano passado, a Internet responde pelo melhor desempenho dos veículos do Cenp-Meios. Em 2020, o meio tinha um share (participação no bolo publicitário) de 24,3% de janeiro a setembro. Agora, com os dados de 2021, esse share da Internet subiu para 29,6%.

Em números absolutos, os investimentos em mídia direcionados ao digital reportados pelo Cenp-Meios somaram o montante de R$ 3.612.744. Em 2019, esse valor era de R$ 2.161.946, o que representa um crescimento de 67%.

Outros meios
A TV aberta segue na liderança com a maior fatia dos investimentos publicitários, porém, com um share um pouco menor do que o reportado no mesmo período de 2020. Pelos dados atuais do Cenp-Meios, de todo o investimento em mídia feito no Brasil em 2021, de janeiro a setembro, a TV aberta angariou 50,5%. No ano passado, essa fatia era de 54,1%.

Ao todo, a televisão aberta recebeu um investimento em compra de mídia de R$ 6.164.106 em investimentos publicitários, o que configura um aumento de 28% na comparação com 2020.

O out-of-home também teve um desempenho positivo, movimento, pelo Cenp-Meios, um investimento 32% superior ao registrado em 2020. Bastante afetado pela pandemia, o meio, no ano passado, registrou um faturamento de R$ 750, 5 milhões. Agora, neste ano, o investimento de mídia monitorado de janeiro a setembro alcançou R$ 992,2 milhões.

O setor de TV paga manteve registrou um aumento de 25,4% no investimento em compra de mídia nos nove primeiros meses deste ano, em comparação com o ano passado. Em 2020, o Cenp-Meios reportou, para o segmento, um montante de R$ 557,7 milhões e, em 2021, o valor reportado pelo estudo foi de R$ 661,8 milhões. Apesar do aumento nos números, o share de TV paga teve um ligeiro recuo de 5,9% para 5,4%.

Rádio, Jornal, Revista e Cinema
Com o meio Rádio aconteceu o contrário. O segmento, que em 2020 tinha um share de 4,5%, ficou, em 2021, com uma participação de 4% no bolo publicitário. Apesar do encolhimento da fatia, em valores absolutos, o Radio cresceu, angariando R$ 488,3 milhões em investimentos publicitário, um número 21,8% superior ao registrado em 2019.

Na sequência, o meio Jornal aparece com 1,9% de share e aumento de 28,5% nos valores totais de investimentos, que ficaram em R$ 228,3 milhões em 2021. Revista aparece no Cenp-Meios com 0,4% de share, tendo movimento, em compra de mídia, o total de R$ 53,7 milhões. P

or fim, o Cinema registrou de janeiro a setembro uma movimentação de R$ 1,8 milhão em compra de mídia (87% menos do que o registrado em 2020),aparecendo no bolo total com 0% de share.

*Credito da imagem de topo: Shutterstock

 

Publicidade

Compartilhe

Veja também