Coca rebate acusação sobre rato em garrafa

Buscar

Coca rebate acusação sobre rato em garrafa

Buscar
Publicidade

Marketing

Coca rebate acusação sobre rato em garrafa

Em sua rede social, companhia alega que a afirmação do consumidor, que diz ter encontrado um roedor num dos produtos da marca, é impossível


18 de setembro de 2013 - 5h51

A Coca-Cola utilizou sua rede social para se defender da acusação de um consumidor, que afirma ter encontrado um rato em uma das garrafas da companhia. O caso registrado em 2000 foi divulgado recentemente.

Em comunicado oficial, publicado na terça-feira 17, em sua página do Facebook, a empresa lamenta o estado de saúde do consumidor, mas afirma que o “fato alegado não tem fundamento e é totalmente equivocada a associação entre o consumo do produto e o seu estado de saúde”.

Leia o comunicado na íntegra:
Sobre o caso de um consumidor registrado no ano de 2000 e recentemente veiculado na imprensa, a Coca-Cola Brasil esclarece que:

Todos os nossos produtos são seguros e os ingredientes utilizados são aprovados pelos órgãos regulatórios, em um histórico de 127 anos de compromisso e respeito com os consumidores.

Os nossos processos de fabricação e rígidos protocolos de controle de qualidade e higiene tornam impossível que um roedor entre em uma garrafa em nossas instalações fabris.

Lamentamos o estado de saúde do consumidor, mas reiteramos que o fato alegado não tem fundamento e é totalmente equivocada a associação entre o consumo do produto e o seu estado de saúde.

Para saber mais sobre a qualidade dos nossos produtos, utilize nossos canais oficiais de comunicação com o consumidor: 0800 0212121. 

Entenda a denúncia:

wraps

Publicidade

Compartilhe

Veja também

  • Vinicius Jr. se torna embaixador global da Clear

    Vinicius Jr. se torna embaixador global da Clear

    Ao lado de Haaland, jogador da seleção passa a integrar time de embaixadores e estratégia voltada ao Brasil

  • PL 1904/24: as marcas devem se posicionar sobre o assunto?

    PL 1904/24: as marcas devem se posicionar sobre o assunto?

    Proposta que visa equiparar a pena de aborto à de homicídio gera mobilização e discussões a respeito do envolvimento do setor privado na questão