Trabalho: 4 em cada 10 profissionais LGBT+ já sofreram discriminação

Buscar

Trabalho: 4 em cada 10 profissionais LGBT+ já sofreram discriminação

Buscar
Publicidade

Marketing

Trabalho: 4 em cada 10 profissionais LGBT+ já sofreram discriminação

Dado faz parte de levantamento feito para a iO Diversidade pelo Instituto Locomotiva e QuestionPro


18 de junho de 2024 - 17h41

LGBT+ trabalho

(Crédito: Adobe Stock)

Quatro a cada dez pessoas que se identificam como parte da comunidade LGBTQIAPN+ afirmam que já sofreram preconceito ou discriminação em seu ambiente de trabalho.

O dado faz parte de um levantamento da iO Diversidade, que foi realizado a partir de informações do Instituto Locomotiva e da QuestionPro.

A proposta da pesquisa era aproveitar o Mês em que é celebrado o Orgulho LGBT+, avaliar o quão desafiadores ainda são os ambientes corporativos em termos de acolhimento e desenvolvimento de pessoas que compõem essa comunidade.

Entre as pessoas que afirmaram já ter sofrido discriminação ou preconceito no ambiente de trabalho, 30% disseram que não relataram o episódio para superiores ou para o departamento de Recursos Humanos.

O levantamento aponta, ainda, que essa percepção de falta de inclusão faz com que muitos profissionais não estejam felizes em sua carreira: 25% dos entrevistados que se declaram pessoas LGBT+ afirmaram estar insatisfeitos com seu trabalho atual. Já entre as pessoas que não são LGBT+, o percentual de insatisfação ficou em 13%.

Percepção do preconceito às pessoas LGBTQIAPN+

Outro dado interessante da pesquisa foi a diferença entre a percepção de discriminação e episódios de preconceito de quem faz parte da comunidade LGBT+ e de quem não faz.

Quando questionados se esse grupo é um dos que mais sofre preconceito no ambiente corporativo, 54% das pessoas da comunidade LGBT+ concordam. Já entre as pessoas que não fazem parte da sigla, cai para 35% o índice de quem acredita que essa comunidade é um dos principais alvos de discriminação.

A pesquisa mostrou, ainda, que 45% dos avaliados não tem conhecimento a respeito do que significa ser uma pessoa transgênero.

Apesar das dificuldades, o estudo da iODiversidade apontou que o sentimento de orgulho entre a comunidade é forte: 77% das pessoas LGBTQIAPN+ dizem ter orgulho de ser quão são. Isso, na visão da consultoria, sinaliza como os movimentos de combate a LGBTfobia e as pautas inclusivas vem contribuindo para a autoestima da comunidade.

Apesar de toda as dificuldades enfrentadas por essas pessoas, 77% têm orgulho de ser quem é, indicando como os movimentos de orgulho e combate a LGBTfobia tem contribuído para o fortalecimento da autoestima desse grupo.

Publicidade

Compartilhe

Veja também

  • Dove aposta em especialista em IA para incentivar beleza sem padrões

    Dove aposta em especialista em IA para incentivar beleza sem padrões

    Como embaixadora de Dove pela Real Beleza, Heloisy Pereira Rodrigues, formada em IA, trabalhará junto a marca em iniciativas da IA a favor da beleza sem padrões

  • Nivea usa gamificação para falar de cuidados com a pele

    Nivea usa gamificação para falar de cuidados com a pele

    Iniciativa acontecerá presencialmente em São Paulo, Campinas e Curitiba para democratizar conhecimento sobre a pele