Quais serão as ações da Meta durante as eleições da UE?

Buscar

Quais serão as ações da Meta durante as eleições da UE?

Buscar
Publicidade

Mídia

Quais serão as ações da Meta durante as eleições da UE?

Meta formará equipe para combater conteúdo falso fruto de inteligência artificial nas eleições parlamentares da União Europeia


27 de fevereiro de 2024 - 10h52

A Meta, detentora das plataformas Instagram, WhatsApp e Facebook, está estabelecendo algumas medidas para as eleições parlamentares da União Europeia, que acontecem em junho.

meta eleições

Meta irá reforçar medidas sobre o impacto da geração de conteúdo por IA em eleições (Crédito: AdobeStock)

A big tech anunciou planos de recrutar um time para combater fake news, sobretudo seus impactos devido à geração de conteúdo falso por meio da inteligência artificial. O materiais incluem vídeos, imagens ou até áudios.

Isso se dá em meio à sofisticação da IA generativa e diversas ferramentas que chegam ao público. É o caso do ChatPGT, Gemini e outros.

Marco Pancini, chefe de assuntos da Meta para a UE, contou em postagem que a companhia ainda lançará um Centro de Operações Eleitorais específico para a região da União Europeia. A operação reuniria especialistas no combate de informações falsas e outros riscos relacionados ao uso da IA. Ainda, as medidas preveem penalidades por não conformidade com as políticas pré estabelecidas.

O que a Meta já faz

“Antes do período eleitoral, tornaremos mais fácil para todos os nossos parceiros de verificação de fatos em toda a UE encontrar e avaliar conteúdos relacionados com as eleições porque reconhecemos que a velocidade é especialmente importante durante eventos de notícias de última hora”, escreveu Porcini na postagem.

Entre as políticas da Meta em vigor, para além das eleições, está a rotulação de fotografias realistas geradas por meio de sua IA e postadas em suas plataformas. De acordo com Pancini, trabalham ainda na construção de ferramentas para identificar imagens geradas por outras companhias e serviços, como o Gemini, do Google, Midjourney, OpenAI e outras.

Ademais, segundo reportagem da BBC sobre o caso, a empresa de Mark Zuckerberg já atua junto a 26 organizações que verificam fatos na região. Além disso, estaria recrutando mais três da Bulgária, França e Eslováquia. Ao todo, a gigante da tecnologia conta com uma equipe global de aproximadamente 40 mil pessoas em segurança e proteção. Elas trabalham na moderação de conteúdo do Facebook, Instagram e Threads em mais de 70 línguas.

O executivo da Meta aponta que este é um trabalho que exigirá esforços do setor de tecnologia, governo e sociedade civil.

IA e eleições no Brasil

No Brasil, o plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) discute nesta terça-feira, 27, o uso da IA em campanhas eleitorais, segundo a Agência Brasil. O órgão se prepara para votar regras para as eleições municipais de outubro, abordando a propaganda eleitoral, bem como outros tópicos.

O texto propõe a necessidade da divulgação do uso de IA de maneira “explícita e destacada” em conteúdos que tenham sido criados ou manipulados pela tecnologia. Ainda, aborda a responsabilidade de empresas de aplicações na Internet, como as big techs. Elas devem, segundo a minuta, implantar medidas para impedir a publicação de conteúdo “irregular”.

Publicidade

Compartilhe

Veja também

  • Record aposta em Marcia Fu para abordar Olimpíada no digital

    Record aposta em Marcia Fu para abordar Olimpíada no digital

    Canal da Fu! abordará assuntos diversos, tendo como início os Olímpicos de Paris, para aproveitar a experiência da ex-atleta

  • CNN usa cenário reciclável para novo programa sobre sustentabilidade

    CNN usa cenário reciclável para novo programa sobre sustentabilidade

    Atração semanal conta com apoio da Ambipar e terá a participação de nomes como Marina Silva, Bruna Pavani, entre outros