BETC e Havas se tornam uma única agência

Buscar

Comunicação

Publicidade

BETC e Havas se tornam uma única agência

Gal Barradas e Erh Ray se mantêm como co-CEOs da BETC/Havas, que agora une 230 profissionais e clientes como Reckitt Benckiser, Pão de Açúcar, Peugeot, Citröen, Hering e China in Box

Alexandre Zaghi Lemos
12 de maio de 2017 - 17h06

Décimo maior grupo de agências do mundo, o francês Havas resolveu fundir duas de suas agências no Brasil. Em um movimento motivado pela otimização de recursos, a Havas Worldwide e a BETC, que desde maio do ano passado já respondem para a dupla de co-CEOs Gal Barradas e Erh Ray, passam a ser uma única empresa, atuando sob a marca BETC/Havas.

Na prática, embora seja a menor das duas partes, a BETC incorpora a Havas Worldwide. Com apensa três anos de atuação no Brasil, a BETC tenta reproduzir no País o sucesso da cultura “sexy and bold” de sua matriz parisiense, uma das agências mais criativas e premiadas do mundo.

A nova operação une os 130 profissionais remanescentes da Havas Worldwide e os cerca de 100 da BETC, e resulta em uma carteira de clientes em que os principais são Reckitt Benckiser, Pão de Açúcar, Peugeot, Citröen, Hering e China in Box. Assim, as marcas Peugeot e Citröen, pertencentes à holding PSA, voltam a ter uma única agência.

Gal Barradas e Erh Ray já definiram os líderes das principais áreas da BETC/Havas, aproveitando profissionais das duas agências. Do grupo diretivo da BETC se mantêm Rodolfo Barreto (criação), Carla Gagliardi (canais e engajamento) e Waleska Bueno (marcas e negócios). Do time da Havas Worldwide permanecem Renata Bokel (estratégia e gestão de dados), Marcio Zorzella (canais e engajamento), Letícia Costa (operações e conexões), Daniela Keller (marcas e negócios), Francisco Garcia (finanças), Júlia Melges (RH), Mariane Goebel (RTVC) e Gilmar Souza (produção gráfica). Camila Nakagawa, que já vinha liderando a comunicação de ambas agências da Havas Creative permanece no posto.

Desde que perdeu a conta do GPA, no final do ano passado, a Havas Worldwide realizou cortes na equipe. Com a fusão com a BETC, deixam a empresa o até então vice-presidente de criação Marcelo Siqueira e o diretor executivo de criação Marcelo Torma, ambos contratados no ano passado. Parte da conta do GPA, relativa à bandeira Pão de Açúcar, se manteve no grupo Havas Creative, mas agora na BETC. Já a conta do Extra seguiu para a Leo Burnett Tailor Made.

Coincidentemente, o movimento de fusão no Brasil ocorre na mesma semana em que se anuncia uma alteração no principal acionista global do Grupo Havas. O grupo de mídia Vivendi fez uma oferta de US$ 2,56 bilhões ao Groupe Bolloré para ficar com participação de 60% no Havas. Apesar da mudança acionária, tanto o Vivendi quanto o Groupe Bolloré são comandados pelo bilionário Vincent Bolloré. Seu filho, Yannick Bolloré, é chairman e CEO global do Grupo Havas. O Havas é pequeno se comparado aos demais grupos de agências. Com receita global de US$ 2,52 bilhões em 2016, a holding parisiense não chega a ser um terço do que é o Interpublic (US$ 7,84 bilhões), ou um oitavo do tamanho do WPP (US$ 19,37 bilhões). Comunicado oficial sobre a oferta do Vivendi diz que o negócio permitiria ao Havas desenvolvimento em “uma indústria que está passando por uma rápida consolidação e está ameaçada pela crescente concorrência de empresas vindas de outros setores”.

A dupla Gal Barradas e Erh Ray é sócia da BETC desde o início de 2014, quando a rede chegou ao Brasil. Em maio de 2016 eles assumiram novas responsabilidades no Grupo Havas, como copresidentes da Havas Creative, que, na ocasião reunia Havas Worldwide, BETC, Havas Life e Havas Digital. Agora, passam a responder como co-CEOs da BETC/Havas, em mais uma demonstração de sucesso da parceria e da implementação da cultura da BETC no País. A Havas Life, presidida no País por Mauro Arruda e focada no mercado de saúde e bem-estar, responde diretamente à rede internacional. Já a Havas Digital foi absorvida por Havas Worldwide e BETC.

Outras mudanças importantes ocorridas desde a chegada da dupla à Havas Creative foram a saída do até então CEO da Havas Worldwide, Maurício Kato, e a transferência do escritório do Rio de Janeiro para outra marca do Grupo Havas, a Z+, ligada à outra área internacional da holding francesa, a Havas Media. No Brasil, a Havas Media é liderada por Douglas Patricio e controla, além da Z+, a Havas Sports & Entertainment, a Affiperf (mídia programática), a Socialyse (mídias sociais) e a Mobext (mobile).

Publicidade

Compartilhe

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”