WPP: e-commerce e experiência são focos para expansão

Buscar
Publicidade

Comunicação

WPP: e-commerce e experiência são focos para expansão

Grupo pretende aumentar de 25% para 40% a participação das disciplinas digitais em seus negócios até 2025

Isabella Lessa
17 de dezembro de 2020 - 16h15

Mark Read, CEO do WPP: “Agora é o momento de colher os benefícios da integração da companhia” (Crédito: Divulgação)

O maior foco em disciplinas como e-commerce e experiência é uma das estratégias de crescimento do WPP para os próximos anos. Nesta terça-feira, 17, a holding fez uma apresentação virtual para analistas e investidores na qual disse que os serviços de mídia, criação e relações públicas devem crescer 1% ao ano de 2021 a 2024.

No mesmo período, as áreas de experiência, e-commerce e tecnologia, que cresceram expressivamente durante de 2020, devem subir 10% a cada ano. Em 2019, o que a companhia chama de “core communications services”, que abrange mídia, criação e RP, correspondeu a 75% do faturamento, enquanto 25% veio dos serviços de tecnologia, e-commerce e experiência.

A expectativa é de que estas três disciplinas continuem em ascensão e representem 40% dos negócios do WPP em 2025. Para concretizar o plano, a companhia pretende acelerar investimentos em mercados com maior potencial de expansão, como América do Sul, China e Índia. Além disso, pretende investir mais em talentos criativos, nas equipes que atendem clientes globais e em suas plataformas de tecnologia em conteúdo.

Uma das prioridades do grupo é o crescimento orgânico: serão investidos US$ 543 milhões anuais em aquisições. E, assim como salientado pelo CEO Mark Read em relatórios financeiros anteriores, setores em expansão, como bens de consumo, tecnologia e healthcare, devem receber mais atenção.

No médio prazo, a holding espera retomar os patamares de receita de 2019 até 2022, e prevê uma alta de até 4% na receita ano após ano até 2023. Desde 2017, boa parte dos balanços financeiros da empresa apresentaram números negativos e, em alguns casos, se mantiveram flat. Em comunicado, Read afirmou que faz dois anos que o WPP estabeleceu uma estratégia para voltar a crescer e, desde então, progrediu por meio de marcas mais fortes e uma estrutura mais simples. No final de 2018, foram consolidadas as marcas Wunderman, J. Walter Thompson, VML e Y&R, originando, respectivamente Wunderman Thompson e VMLY&R (no Brasil, esta segunda integração foi realizada somente em outubro). Neste ano, a companhia anunciou a fusão entre Grey e AKQA, formando o Grupo AKQA, e a absorção da marca Geometry pelo Grupo VMLY&R.

“Agora é o momento de colher os benefícios da integração da companhia e olhar para novas oportunidades que vão além do mercado de comunicação tradicional do WPP”, disse Read, em nota.

Diversidade
Neste ano, o WPP criou um Conselho de Inclusão Global para acelerar programas, políticas e iniciativas de diversidade. A companhia se comprometeu em investir US$ 30 milhões pelos próximos três anos em programas de inclusão e no apoio a organizações externas dedicadas à diversidade. Hoje, 50% das cadeiras de gerentes sêniores e 37% do sênior level são ocupadas por mulheres.

*Crédito da imagem no topo: Divulgação

Publicidade

Compartilhe

Veja também