Mercado dos EUA minimiza queda de receitas do Publicis

Buscar

Comunicação

Publicidade

Mercado dos EUA minimiza queda de receitas do Publicis

Receita global da companhia atingiu montante de 9,71 bilhões de euros; com exceção dos EUA, demais mercados tiveram declínio


3 de fevereiro de 2021 - 17h32

Arthur Sadoun, chairman e CEO do Publicis Groupe

O desempenho na operação dos Estados Unidos ajudou a impulsionar os resultados do Publicis Groupe no quarto trimestre de 2020. Apesar disso, o crescimento geral da companhia ao longo do ano foi impactado pela Covid-19.

Ao divulgar seus resultados financeiros relativos ao ano passado, a holding reportou uma receita líquida praticamente estável no período, com ligeira queda de 0,9% em relação a 2019, alcançando o montante de 9,71 bilhões de euros de receitas. Se desconsideradas aquisições e variações cambiais, a empresa teve uma queda de 6,3% nas receitas.

No entanto, há um contraste entre o desempenho do grupo nos Estados Unidos, onde o a holding apresentou ligeira alta de receitas no último trimestre, de 0,5%, em comparação com a Europa, onde o indicador continua em queda.

O destaque no mercado americano foi a alta de 5,5% das receitas da Epsilon, operação de data e insights. O grupo também declarou que seus negócios de mídia digital, healthcare e a unidade Publicis Sapient contribuíram para um bom desempenho no mercado estadunidense, onde a holding teve crescimento orgânico de cerca de 2% ao longo de todo o ano de 2020.

Em contrapartida, a receita da rede caiu 12,7% na Europa. O crescimento orgânico teve um recuo de 19,7% na França, mercado que foi particularmente afetado sobretudo em relação à mídia exterior, nos períodos de lockdown. No Reino Unido, a queda foi de 12,4%, enquanto na região da Ásia-Pacífico, o recuo foi de 6,7%. A América Latina também teve desempenho negativo, com queda de 13,9%. Oriente Médio e Africa também tiveram declínio, de 11,7%.

Apesar desses desempenhos negativos, Arthur Sadoun, chairman e CEO do Publicis Groupe, descreveu a performance da companhia ao longo de todo o ano como sólida. Ele disse que o grupo viu uma contínua fase de conquista de novos negócios – que inclui contas como Kraft Heinz, Reckitt Benckiser, Pfizer, Visa, L’Óreal na China, TikTok e Sephora – e enfatizou que a holding não recebeu ajuda financeira do governo francês. Além disso, Sadoun também disse que irá repor os cortes salariais feitos a mais de 6 mil funcionários no início da pandemia. Essa decisão, inclusive, já foi apoiada pelo conselho da companhia.

Com informações do Advertising Age

Publicidade

Compartilhe