Com novo board, DPZ&T quer ser aceleradora de negócios

Buscar
Publicidade

Comunicação

Com novo board, DPZ&T quer ser aceleradora de negócios

Com novas nomenclaturas e contratações, atual board da agência se posiciona para colocar ênfase em pessoas, ESG e negócios

Isabella Lessa
8 de dezembro de 2021 - 16h55

O novo board da DPZ&T: (de pé, da esq. para a dir.): Marcos Yamamura, Marcelo Rodrigues, Benjamin Yung Jr e Monica Szanto; (sentados, da esq. para a dir.): Fernanda Miné, Rejane Romano, Fernando Diniz, Flavia Cortes, Rafaela Queiroz e Fabio Losso (Crédito: Marcus Hausser)

Cerca de quatro meses depois de Fernando Diniz e Benjamin Yung Jr. terem assumido o comando da DPZ&T como copresidentes, a agência apresenta o novo board, resultado de uma combinação de promoções de profissionais que já estavam na casa e a contratação de outros.

A atual configuração foi pensada com a premissa de a agência se firmar como uma aceleradora de negócios sintonizada às questões de ESG. Compõem o novo time de frente da agência a vice-presidente de mídia e BI Rafaela Queiroz (ex-agency partner do Facebook), a diretora de comunicação Rejane Romano (egressa do Instituto Ethos, onde atuava como coordenadora de comunicação), o diretor financeiro Marcelo Rodrigues (até então country head of FP&A do Publicis Groupe), e, em nomenclaturas recém-criadas, a vice-presidente sênior de operações e negócios Flavia Cortes (ex-head de atendimento da Publicis Brasil) e a diretora de cultura e gestão Monica Szanto (ex-diretora de talento e cultura da Blinks Essence, do WPP, e com passagem anterior pela DPZ&T, como diretora de recursos humanos). Dos que já estavam na casa, Fabio Losso, até então diretor de atendimento, foi promovido a vice-presidente de negócios, Marcos Yamamura, diretor de projetos, foi nomeado diretor de gestão e eficiência, e a diretora de planejamento estratégico Fernanda Miné tornou-se head de estratégia e ESG.

“Teremos um filtro de ESG em tudo, inclusive começaremos a prestar consultoria para os clientes a partir do ano que vem. E toda governança já começa no contrato. Queremos ser remunerados pelo nosso olhar criativo e estratégico. As agências são tão questionadas, mas desafio achar outra indústria que traga o resultado que a gente traz. Com pé no chão e focados, somos grandes aliados. Por isso, unimos mídia, planejamento e criação desde o primeiro dia”, afirma Diniz.

Nova fase

Em agosto, três das principais lideranças da DPZ&T, o CEO Eduardo Simon e os vice-presidentes de criação, Rafael Urenha, e de mídia, Paulo Ilha, deixaram a operação para abrir a Galeria, que iniciou atividades com três das principais contas que eram atendidas pela DPZ&T: Itaú, McDonald’s e Natura.

Até então chief strategy officer da agência, Diniz assumiu como copresidente ao lado de BJ, que respondia como sócio e CCO da Suno United Creators. “O que me atraiu foi a possibilidade de repensar relações, valores e modelos de negócio para não cair em armadilhas tradicionais, que levaram a indústria à essa percepção de que agências são despesas. Queremos ser percebidos como o maior ROI, não a maior despesa”, diz BJ.

Publicidade

Compartilhe

Veja também