Em meio à crise com governo dos EUA, CEO deixa o TikTok

Buscar

Gente

Publicidade

Em meio à crise com governo dos EUA, CEO deixa o TikTok

Kevin Mayer havia assumido o cargo em maio e deixa a empresa no momento de grande turbulência com o governo de Donald Trump


27 de agosto de 2020 - 11h19

Kevin Mayer (Crédito: Jesse Grant/ Getty Images)

Kevin Mayer renunciou ao cargo de CEO do TikTok três meses depois de ter sido contratado para a função. A decisão acontece no momento em que o aplicativo chinês enfrenta uma grande pressão política nos Estados Unidos, com ameaças do presidente Donald Trump de banir o app do território estadunidense.

A decisão de Meyer foi anunciado por meio de um comunicado interno e, ao Advertising Age, uma porta-voz da companhia confirmou a saída do CEO. Por enquanto, o comando do TikTok ficará com Vanessa Pappas, atual gerente-geral da empresa da ByteDance.

A saída de Mayer reforça a turbulência que a rede social vem sofrendo em âmbito global. Nos Estados Unidos, a ByteDance está sendo pressionada a vender o TikTok para manter o aplicativo em operação no País. No Reino Unido, a rede social também está enfrentando algumas restrições e, na Índia, o maior mercado global para a empresa, o serviço foi totalmente banido pelo governo. A contratação de Mayer, feita em maio, tinha o papel de melhorar as relações entre a empresa e o governo dos Estados Unidos, transmitindo a ideia de que a companhia tinha uma vida independente de sua operação chinesa e, que portanto, não trazia qualquer ameaça para a segurança dos usuários.

Poucos tempo depois da contratação do CEO, no entanto, Trump ordenou que o TikTok fosse vendido, sob o risco de banir sua atuação naquele país. A empresa acabou se tornando uma peça chave na disputa comercial entre Estados Unidos e China.

“Nas semanas recentes, com as mudanças drásticas do ambiente político, fiz uma reflexão a respeito das mudanças estruturais que a empresa irá exigir e o que isso representa para o cargo global que ocupo. Entendi que o papel que assumi – de administrar globalmente o TikTok – será bem diferente por conta das pressões pela venda a empresa nos Estados Unidos”, disse Mayer, no comunicado enviado aos funcionários da empresa, obtido pela Bloomberg.

Para assumir o TikTok, o executivo um dos principais cargos de liderança na Walt Disney Co. Por mais de uma década, ele ajudou a maior empresa de entretenimento do mundo a expandir suas ofertas, tendo papel importante na aquisição da Pixar Animation Studios, Marvel Entertainment, Lucasfilm e dos ativos de entretenimento da 21th Century Fox. O governo dos Estados Unidos não quis comentar sobre a renuncia do CEO do TikTok.

A saída do executivo acontece dias depois de a ByteDance ter entrado com uma ação judicial para impedir que o governo dos Estados Unidos proíba a utilização do TikTok. Na visão do líder estadunidense, o aplicativo represente uma ameaça à segurança das pessoas no país. No último dia 14, Trump ordenou que a ByteDance vendesse seus ativos nos Estados Unidos. Segundo a empresa chinesa, a medida de Trump foi tomada por razões políticas e é inconstitucional.

Com informações do Advertising Age e Bloomberg

Compartilhe