Além do marketing, IA chega ao produto final

Buscar

Marketing

Publicidade

Além do marketing, IA chega ao produto final

Algoritmos já trabalham em fragrâncias de O Boticário, comunicação da Natura com consultoras, sistemas de navegação do Virtus e transações do Bradesco

Luiz Gustavo Pacete
31 de outubro de 2018 - 9h00

 

O lançamento do perfume criado por IA está previsto para 2019 (Crédito: Reprodução)

O primeiro perfume criado por um sistema de inteligência artificial já existe. Ele foi anunciado na semana passada, em Nova York, por meio de uma parceria entre O Boticário e a casa de fragrância Symrise. O desenvolvimento da fragrância, que será comercializada a partir de 2019, foi possível por meio de uma versão de IA criada pela IBM Research.

Jean Bueno, gerente de perfumaria de O Boticário, explica que ela foi criada a partir do perfil da pessoa que a utilizaria. O sistema de IA recebeu detalhes como: destinado para quem quer aproveitar a vida, geração millennial, de quem é livre para escolher, curiosos e em busca de novas experiências. Com esse perfil e outras variáveis, o sistema criou diversos tipos de combinações.

“Um sistema de IA não consegue cheirar uma fragrância, mas pode aprender rapidamente o desempenho de milhões de fórmulas alinhadas às preferências das pessoas. O perfumista cheira essas fórmulas e faz os ajustes necessários”, explicou Richard Goodwin, pesquisador e cientista da IBM Research.

No ano passado, a Volkswagen lançou o primeiro carro com manual cognitivo. O Virtus foi o primeiro modelo do Brasil a ter recursos de conectividade e digitalização baseados em inteligência artificial. O carro responde aos motoristas questões sobre o veículo, incluindo informações que contém no manual do carro e permite uma nova forma de interagir com o veículo oferecendo uma nova experiência tecnológica. Atualmente, a tecnologia já pode ser encontrada na Tiguan e no Jetta.

O Bradesco foi o primeiro banco a utilizar a inteligência artificial no Brasil. O projeto usa o Watson em um call center interno do banco que, por meio de um chat, responde às perguntas dos funcionários sobre processos e produtos internos para melhor atendimento dos clientes. A solução está em operação em seis mil agências e tem resposta para mais de 200 mil perguntas sobre mais de 59 produtos do Bradesco.

E voltando a falar em fragrâncias, a Natura criou, recentemente, uma nova forma de se comunicar com suas consultoras por meio de um sistema de IA. O objetivo maior era tangibilizar a relevância das vendas por relações por meio de um formato que valorizasse o olhar para o indivíduo, seu contexto e necessidades. A comunicação passou a ser individualizada e em oito meses de utilização houve um aumento na taxa de abertura de e-mail destinado às consultoras. O que antes era, em média, de 21% passou para 47%.

 

O Virtus foi o primeiro modelo do Brasil a ter recursos de conectividade e digitalização baseados em IA (Crédito: Reprodução)

“Nós nos projetamos como uma empresa que cresce junto com nossa rede de consultoras, e é por isso que implementar a tecnologia IBM para nossos processos tem sido fundamental. Nós não segmentamos nossas consultoras por idade ou localização geográfica, mas pensamos nelas como indivíduos. A solução da IBM nos permite analisar melhor seus perfis, comportamentos, preferências, alcançá-las através de seu canal preferido que pode ser e-mail, SMS ou telefone”, disse diretor de operações comerciais da Natura, Jorge Franchella.

Publicidade

Compartilhe