Vingadores escalam desde Turma da Mônica até Porta dos Fundos

Buscar

Marketing

Publicidade

Vingadores escalam desde Turma da Mônica até Porta dos Fundos

Investimento de US$ 200 milhões em marketing rende memes nas redes sociais

Thaís Monteiro
26 de abril de 2019 - 7h07

Vingadores: Ultimato estreou nessa quinta-feira, 25, com expectativas de arrecadar US$ 1 bilhão em bilheteria global na primeira semana em cartaz. De acordo com informações do portal Deadline, a Marvel Studios desembolsou US$ 200 milhões para o marketing do filme.

No Brasil, diversas ações também têm sido realizadas para comunicar o filme, desde mídia tradicional, passando por investimento intenso em out-of-home e digital, até kits especiais nas bombonières de cinema. Em publicações patrocinadas, personalidades como Ana Maria Braga, Evaristo Costa, Gregório Duvivier e Fábio Porchat desaparecem como consequência do estalo de Thanos, inimigo dos heróis, como ocorreu em Vingadores: Guerra Infinita. Também é o tema de um dos episódios de Mônica Toy em que Cascão, como Homem de Ferro, e Cebolinha, como Capitão América, tentam driblar o poder de Thanos. A produção é resultado de uma parceria entre a Mauricio de Sousa Produções e a The Walt Disney Company Brasil.

 

Esse é o maior investimento global na história da Marvel Studios, ultrapassando o terceiro episódio de Vingadores (que custou US$ 150 milhões), Homem-Aranha: De Volta Ao Lar (US$ 140 milhões) e Guardiões da Galáxia, Volume 2 (US$ 80 milhões). Outras marcas também se aproveitam do buzz para trabalhar junto ao filme, como Mastercard, Ulta Beauty, Audi, McDonald’s, Google, Geico, Coca-Cola, General Mills, Oppo Mobile, Ziploc e Synchrony Financial.

Com a Epic Games, por exemplo, a Marvel criou crossovers com Fortnite, levando ao ambiente do jogo as armas de Thor, Capitão América e demais personagens. Além de fazer uma campanha para promover sua nova linha de smartphones Pixel, o Google desenvolveu um pacote de playmojis com os Vingadores. Há também um easter egg em sua página de buscas principal: ao digitar Thanos, entre os resultados aparece uma luva do infinito — o acessório intergalático usado pelo vilão para destruir metade do universo. Ao clicar sobre a luva, os resultados da busca começam a desaparecer.

Evidentemente, todo mundo hoje conhece a Marvel e sabe o que esperar de seus filmes. Então, é seguro dizer que a ambição mais óbvia da empresa resida nos ‘nerds adultos’. Entretanto, ao aliar-se a marcas como Audi e Epic Games, a Marvel também busca tocar em nichos mais específicos: um público um pouco mais velho do que o comum com Audi, mas de olho no nerd mais jovem com Epic Games. No caso da Marvel, a aposta está em dividir para conquistar: ela investe pouco a pouco, em vários nichos e em momentos específicos. Dessa forma, a empresa mantém o interesse público em alta durante todo o processo do filme — desde as filmagens até a estreia — ao mesmo tempo em que cativa públicos que normalmente não atingiria”, explica Nauana Macêdo, gerente de marketing institucional da Webedia Publishing.

Entre 17 e 24 de abril, Vingadores: Ultimato teve 259 mil menções no Twitter, 81% de teor neutro, 9,2% positiva e 9,1% negativa, consta um levantamento realizado pela plataforma Scup a pedido do Meio & Mensagem. Os posts com sentimentos positivos diziam, no geral, sobre a ansiedade dos usuários para assistir ao filme. Já os negativos eram reclamações em relação ao preço e também à falta de ingressos. O personagem mais mencionado foi Thanos, com 61% dos comentários, seguido por Homem de Ferro (13%), Capitão América (11%), Thor (8%) e Hulk (4%).

De acordo com Nauana, a Marvel trouxe ao marketing o aprendizado de que o investimento, seja grande ou pequeno, deve ser feito com bases factuais e pesquisas sobre os hábitos de cada público que visa atingir que, no caso da companhia, é vasto. “É fundamental estar presente em cada ponto de contato de quem já é fã e pra quem ainda não é. O público comum aos filmes e quadrinhos da Casa das Ideias será atingido por uma estratégia de marketing comum. A chave do sucesso reside em chegar onde normalmente não se chega, e é isso que a Marvel vem tentando fazer”, diz.

**Crédito da imagem no topo: Reprodução/Epic Games

Publicidade

Compartilhe