Tendências: Como vamos trabalhar em 2021?

Buscar

Marketing

Publicidade

Tendências: Como vamos trabalhar em 2021?

Novos benefícios, a valorização da saúde mental e a discussão sobre a obrigatoriedade da vacina estão entre os temas de destaque para o próximo ano


21 de dezembro de 2020 - 8h17

Formatos de trabalho híbridos devem permanecer no próximo ano (crédito: eva-katalin-istock)

Por Jeanine Poggi, do AdAge

A pandemia rompeu com uma série de princípios básicos da indústria da publicidade. Ela interrompeu hábitos, como resolver negócios em longos jantares, bater papo no Sul da França e as apresentações chamativas para anunciantes na TV. Embora a esperança seja de que uma vacina permita que alguns desses costumes retornem em 2021, a realidade é que a maneira como o mercado faz negócios mudou. Aqui estão algumas previsões de como vamos trabalhar em 2021.

Semana de trabalho reimaginada

Modelos de trabalho híbrido começaram a surgir já em 2020, quando algumas empresas e agências começaram lentamente a reabrir para que os funcionários voltassem ao escritório. Essa combinação de tempo nos escritórios e home office deve continuar no próximo ano. Mas, além da capacidade de trabalhar remotamente, as empresas também vão repensar a semana de trabalho. A Unilever, por exemplo, está testando uma semana de trabalho com quatro dias na Nova Zelândia. No início do ano, a adtech Polar começou a experimentar fechar seu escritório nas sextas-feiras. Até mesmo o governo da Espanha está analisando diminuir as horas de trabalho e reduzir a jornada para quatro dias na semana.

Isso, certamente, não significa que o setor ficará no escuro às sextas-feiras, mas poderíamos estar entrando em uma nova era. O equilíbrio entre vida pessoal e profissional será priorizado, com novas políticas e benefícios surgindo para garantir que os funcionários não se esgotem.

Saúde mental priorizada

O mundo da publicidade não era exatamente um exemplo de equilíbrio entre vida profissional e pessoal, antes da pandemia. Mas a Covid-19 permitiu que a indústria prestasse atenção e manifestasse apoio à saúde mental dos funcionários. Durante toda a pandemia, vimos agências e marcas oferecendo bolsas em aplicativos de mindfulness e aconselhamento para os seus colaboradores. Na Periscope, por exemplo, as lideranças estão conduzindo uma checagem regular de bem-estar com os funcionários para verificar sua saúde mental.

Novos tipos de benefícios

Vantagens antes oferecidas nos escritórios, como lanches grátis e benefícios para o transporte diário, não serão mais relevantes. Por isso, as marcas precisarão repensar como vão se manter competitivas na atração de talentos. Os novos tipos de atrativos incluem subsídios para renovar escritórios domésticos ou aumentar a internet, assim como benefícios dedicados a creches, serviços de tutoria, ajuda com a lição de casa para crianças que estudam remotamente. A Weber Shandwick está oferecendo aos seus funcionários até o nível de diretoria US$ 250 para as necessidades de casa e um menu de benefícios que visa aliviar o estresse, como descontos em serviços de entrega de comida, tutoria ou cuidados com animais de estimação.

Escritórios assumem nova função

O retorno oficial aos escritórios continua a ser adiado. A Apple afirmou esta semana que a equipe não retornará ao modo presencial até junho, enquanto o Google não espera que seus escritórios estejam em pleno funcionamento até setembro de 2021, no mínimo.

Em 2020, os líderes das agências de publicidade discutiram o papel do escritório como sendo um núcleo de colaboração e conexão. Em 2021, veremos como esse pensamento toma forma. Haverá uma diminuição na metragem quadrada dos escritórios, seguindo holdings como IPG e Omnicom, que afirmam que planejam reduzir suas instalações.

Diversidade, equidade e inclusão

No próximo ano, as empresas serão responsabilizadas pelas iniciativas anunciadas em 2020 para garantir a diversidade de suas forças de trabalho. Se 2020 foi para estabelecer metas, 2021 será o ano para mostrar evidências e progresso. Agências e marcas serão avaliadas, não apenas pelas novas contratações que fizerem, mas por sua capacidade de reter esses funcionários. Ao longo dos meses, acompanhamos a contratação de vários novos agentes de diversidade, equidade e inclusão, mas uma função não mudará a composição de uma organização. Os novos contratados de DE&I receberão os recursos para formar equipes e ajudar as empresas a cumprir suas metas?

Vacinação

No momento em que uma vacina começa a ser disponibilizada nos Estados Unidos, a próxima questão é se as empresas vão exigir que os funcionários estejam vacinados para voltar aos escritórios. Nesta semana, Mark Zuckerberg, CEO do Facebook, afirmou que a vacinação não será obrigatória.

 *Tradução: Taís Farias

** Crédito da foto no topo: Mfto/ iStock

Publicidade

Compartilhe