BR Distribuidora e Americanas investem em conveniência

Buscar

Marketing

Publicidade

BR Distribuidora e Americanas investem em conveniência

Integração entre BR Mania e Local pretende explorar mercado por meio de franquias e de lojas próprias na rede de postos BR e com lojas de rua


25 de fevereiro de 2021 - 17h33

A BR Distribuidora e as Lojas Americanas anunciaram nesta quinta-feira, 25, uma parceria para a integração das lojas de conveniência BR Mania e Local. Para isso as empresas criaram uma nova sociedade, cujo capital social será detido por ambas, que terão participação de 50% na nova empresa a ser constituída, que contará com estrutura profissional e de governança corporativa próprias.

 

Modelo operacional prevê lojas franqueadas e operação própria (crédito: divulgação)

Para viabilizar a sociedade, então, foi considerado um Enterprise Value de até R$ 995 milhões, com aporte da Rede de Franquias BR Mania e das lojas Local. Além disso, a transação inclui um pagamento pela Americanas de até R$ 305 milhões, na forma de um aporte na nova empresa de aproximadamente R$ 252 milhões e um pagamento de até R$ 53 milhões de parcela variável à BR, com base em metas de performance.

Segundo comunicado enviado pelas empresas, o objetivo da parceria é maximizar o desempenho operacional e financeiro dos negócios de conveniência Local e BR Mania, com base em metas de performance. Com isso, o modelo operacional prevê tanto lojas franqueadas como operação própria. Atualmente, a BR Distribuidora conta com aproximadamente 1.200 lojas no formato BR Mania, operadas por franqueados, e as Lojas Americanas possui 55 lojas próprias Local.

“A parceria tem o potencial de capturar oportunidades nos cerca de oito mil postos da rede BR, presentes em todos os estados do país. Adicionalmente, poderá explorar o mercado de conveniência e proximidade em lojas de rua com ambição de oferecer mais opções e a melhor experiência do segmento para os consumidores”, afirmaram as empresas, em comunicado. A formalização da parceria e fechamento da operação depende ainda da autorização pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

**Crédito da imagem no topo: Reprodução

Publicidade

Compartilhe