TikTok apresenta novos formatos de anúncios nos Estados Unidos

Buscar

TikTok apresenta novos formatos de anúncios nos Estados Unidos

Buscar
Publicidade

Mídia

TikTok apresenta novos formatos de anúncios nos Estados Unidos

Em meio à ameaça de proibição no país, plataforma discutiu novas ferramentas de vídeo, pesquisa e anúncios de compras para varejistas


19 de março de 2024 - 14h32

*Com informações do Ad Age

O TikTok quer fomentar o comércio em sua plataforma integrando anúncios de compras em vídeo em sua ferramenta de busca ainda em desenvolvimento, à medida que a empresa se concentra em seu roadmap de produtos. Isso tudo em meio a preocupações sobre uma possível proibição nos EUA.

tiktok anúncios

(Crédito: Airdone/Adobe Stock)

A companhia anunciou uma série de atualizações em publicidade comercial e compras do aplicativo, uma parte essencial de sua estratégia geral de negócios.

Os anúncios sobre novas features no TikTok Shop foram feitos na Shoptalk, conferência em Las Vegas que reune varejistas e players de tecnologia.

Hoje, os anúncios de produtos aparecem no feed principal do TikTok. Agora, serão exibidos na guia da marca ou comerciante. A plataforma também atualizou os anúncios de compras em vídeo, permitindo que os varejistas os exibam nos resultados de pesquisa. O movimento é parte de uma evolução de como o TikTok está tentando capturar mais verbas de publicidade em pesquisas à medida que mais consumidores usam o aplicativo para descobrir produtos.

Entre os comunicados, esteve também a atualização dos anúncios de compras em vídeo para que se tornem mais interativos. Isso inclui a integraçãoo aos catálogos dos varejistas para exibir uma gama mais ampla de produtos.

Consolidação do TikTok Shop

O objetivo do TikTok é “criar a experiência de compra mais perfeita possível para os usuários descobrirem e comprarem produtos”, disse Ray Cao, diretor administrativo e chefe global de estratégia e operações de produtos do TikTok, ao Ad Age antes do Shoptalk. “Estamos focados em maximizar a descoberta de nossas campanhas publicitárias”, acrescentou.

A plataforma da ByteDance tem tentado defender a vertente comércio eletrônico de seus negócios nos EUA, especialmente desde que lançou o TikTok Shop nos EUA de forma ampla no ano passado. O aplicativo tem incentivado marcas e criadores a promover produtos que levam diretamente às vendas na TikTok Shop.

TikTok nos EUA

O TikTok foi à Shoptalk em um momento delicado, uma semana depois que a Câmara dos Representantes dos EUA apresentou um projeto de lei que poderia forçar o aplicativo a vender suas participações nos EUA.

O Congresso levantou preocupações sobre os laços de propriedade do TikTok com a ByteDance, com sede na China. Legisladores e autoridades de inteligência dos EUA alegam que o TikTok representa uma ameaça aos dados dos americanos e que seu poderoso algoritmo pode moldar o discurso público de maneiras perigosas.

O TikTok já esteve nesta posição antes. No ano passado, seu CEO, Shou Chew, testemunhou perante o Congresso enquanto os legisladores consideravam uma ação legislativa contra o aplicativo. Em 2020, o então presidente Donald Trump tentou forçar a venda do TikTok para uma entidade dos EUA.

Na semana passada, Cao conversou com o veículo sobre como o aplicativo está em uma boa posição junto aos parceiros de publicidade. Segundo ele, o fato torna mais fácil a comunicação com eles durante este momento de perigo. Ao contrário de 2020, o TikTok hoje é uma figura conhecida entre seus maiores parceiros, assim, desenvolveu relacionamentos mais próximos com as marcas.

Tradução por Giovana Oréfice

Publicidade

Compartilhe

Veja também

  • Como o público enxerga os anúncios em sites de notícias?

    Como o público enxerga os anúncios em sites de notícias?

    Pesquisa realizada pela Teads ao lado da CNN Brasil revela critérios para a escolha de site de notícias, bem como sentimentos em relação a anúncios em veículos

  • Operação brasileira da CNBC apresenta sede

    Operação brasileira da CNBC apresenta sede

    Redação, estúdios, áreas operacionais e gestão da emissora funcionarão em prédio no Itaim Bibi, em São Paulo