Como a Inteligência Artificial pode ajudar publishers regionais do Brasil

Buscar
Publicidade

Blog do Pyr

Como a Inteligência Artificial pode ajudar publishers regionais do Brasil

Para explicar a utilidade da Generative AI aos empresários de mídia com pouca informação sobre o assunto, confira os principais pontos no texto

Preencha o formulário abaixo para enviar uma mensagem:


30 de agosto de 2023 - 9h00

Estava num sabadão à tarde trocando uatz com meu amigo e cliente, o simpático gaúcho gente fina, articulado e cabeçudo Domingos Secco, sócio fundador e CEO da Alright, imaginando como iríamos contribuir para que os empresários e executivos de empresas de comunicação e mídia dos mais variados rincões regionais do País tenham acesso, conheçam e, mais que tudo, utilizem Generative AI a Inteligência Artificial.

Essa é uma das missões que o Secco e a Alright estão executando, na esteira de um não menos que emocionante projeto nacional de aculturação e capacitação dos mais recônditos mercados de publishing do País sobre negócios, práticas comerciais, operacionais e…. Tech.

Se der tudo errado, já deu muito certo. Só pelo propósito.

Mas como certamente vai dar certo e ele me contaminou com a ideia toda, não paramos de falar a respeito, quando, entre uma mensagem e outra, no sabadão, consultei o ChatGPT sobre o tema.

O que ele nos falou segue abaixo. Certamente, vai enriquecer conceitos e práticas da plataforma da Alright.

Com você, o ChatGPT para os publishers regionais do Brasil:

Para explicar a utilidade da Generative AI aos empresários de mídia com pouca informação sobre o assunto, você pode destacar os seguintes pontos:

1. Automação de tarefas: Explique como a Generative AI pode automatizar tarefas como a criação de conteúdo padrão, liberando tempo para os jornalistas se concentrarem em reportagens de maior valor agregado.

2. Personalização em massa: Demonstre como a tecnologia pode ser usada para criar conteúdo personalizado para diferentes segmentos de público, aumentando o engajamento e a fidelização dos leitores.

3. Eficiência editorial: Ilustre como a IA pode acelerar o processo de produção de notícias, permitindo que as histórias sejam publicadas mais rapidamente e mantendo os leitores atualizados em tempo real.

4. Exploração de novos formatos: Aponte a capacidade da Generative AI de gerar diferentes formatos de conteúdo, como resumos automáticos, vídeos explicativos e infográficos interativos, ampliando a diversidade do material oferecido.

5. Oportunidades de monetização: Mostre como a automação pode reduzir custos operacionais, permitindo que os recursos sejam realocados para áreas como marketing, desenvolvimento de produtos e expansão de negócios.

6. Adaptabilidade a tendências: Saliente que a adoção de tecnologias inovadoras como a Generative AI pode manter o veículo de comunicação relevante em um ambiente de mídia em constante evolução.

7. Exemplos de sucesso: Apresente casos reais de empresas que já estão usando Generative AI para melhorar suas operações e gerar novas oportunidades de negócios.

8. Parcerias estratégicas: Sugira a possibilidade de colaborar com startups ou empresas especializadas em IA para implementar soluções personalizadas e orientadas para os objetivos específicos do veículo de comunicação.

Ao abordar esses pontos de forma clara e prática, você pode ajudar os empresários a compreender como a Generative AI pode ser uma ferramenta valiosa para impulsionar seus negócios no cenário de mídia em constante transformação.

Isso foi a Generative AI. Agora, gente bem humana da Alright vai transformar insights de AI em otimização de negócios. Essa é a dobradinha ideal entre máquina e humanos. Publishers regionais do Brasil, em breve, participando da cena avançada de tecnologia AI.

Publicidade

Compartilhe

Veja também

  • Flashtalking chega como opção independente para adserver

    Flashtalking chega como opção independente para adserver

    Empresa será administrada pela Adsmovil na América Latina e substituirá os servidores dos anunciantes após a Amazon desistir do negócio de adserver

  • Estudo mostra marcas mais usadas por criminosos digitais

    Estudo mostra marcas mais usadas por criminosos digitais

    Dentre as 30 marcas, as três mais usadas para fraudes são Microsoft, DocuSign e Amazon