Flix Media prepara nova métrica de cinema

Buscar

Mídia

Publicidade

Flix Media prepara nova métrica de cinema

Com apoio de entidades do setor, empresa trabalha em número para utilizar em planejamento de campanhas junto a big data

Igor Ribeiro
7 de novembro de 2018 - 14h41

Vinicius Sanfilippo conta sobre as expectativas de mercado para 2019 (Crédito: Fabio Chiba/ Divulgação)

Em evento realizado em São Paulo nessa terça-feira, 6, a Flix Media anunciou que está desenvolvendo uma nova métrica de cinema, com o intuito de obter um perfil mais detalhado do público e, assim, direcionar campanhas. A empresa integra um grupo de trabalho onde também participam a Associação Brasileira de Anunciantes (ABA, representada por Marco Frade, da LG); Grupo de Mídia SP (Boaventura Junior, da DPZ&T); e Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa (com Sonia Leme, que coordena seu comitê técnico junto ao Conselho Executivo das Normas-Padrão, Cenp).

Não por acaso, é o mesmo grupo que coordenou a elaboração e implantação do Mapa OOH, sistema de métricas apresentado recentemente por empresas de out-of-home. “Com os dados reais, auditados pela ComScore, conseguimos saber o número de pessoas reais por sala, quantos ingressos, para quais filmes e em que período isso aconteceu”, afirmou Vinícius Sanfilippo, diretor de planejamento e mídia da Flix Media. A expectativa, porém, é calibrar essa informação segundo as demandas atuais de agências e anunciantes.

Para reunir um grande volume de dados que forneça um analytics robusto para planejamento de mídia, a empresa lançou recentemente o Alfred, um aplicativo com informações e programação sobre filmes e estreias. “Precisamos de fato saber os hábitos e comportamentos de quem está sentado em frente à tela, mas também estabelecer uma métrica que seja comparativa com outros meios de vídeo. Esses dois pontos fizeram a gente caminhar para projetos diferentes: um deles é o Alfred, uma questão de deep learning do usuário, e o segundo projeto é chegar a um GRP de cinema, para determinar alcance e frequência”, explicou Vinícius.

“Estamos fazendo uma discussão bem profunda, de metodologia e ter um dado dinâmico, para de fato conseguir calcular o usuário único de cinema”, falou o executivo, sobre a expectativa de elaborar a nova métrica junto ao mercado. Por outro lado, o Alfred respondeu ao desafio de capturar dados qualificados, em escala e proprietários, antecipando-se às novas exigências da legislação nacional sobre o tema.

Leo Xavier, da Pontomobi, fala sobre o desenvolvimento do Alfred (Crédito: Igor Ribeiro)

A Pontomobi desenvolveu o Alfred junto à Flix Media. O processo envolveu uma equipe multidisciplinar que estressou mais de 200 features em processos de ideação e design thinking, até chegar à estrutura básica da solução, que determinou o desenvolvimento tecnológico. Anunciado oficialmente em agosto, o aplicativo já contabilizou “mais de 860 mil interações, e tudo isso gera dados e conhecimento sobre comportamento e audiência”, disse Léo Xavier, CEO da Pontomobi, que também esteve no evento.

“Quando você cria um aplicativo, a comparação do consumidor não é com a concorrência direta, mas com aqueles que você usa no dia a dia, e a partir desses que a gente gera um senso crítico, verificando usabilidade, interface, tecnologia e também se é bacana, divertida, leve”, relatou Léo.

No evento, também realizaram paineis Paul Yanover, presidente da Fandango, multinacional de informações sobre filmes e venda de ingressos, dona da Ingresso.com; e Ed Catmullpresidente da Pixar e da Walt Disney Animation Studios, que falou sobre os processos de criação dentro das empresas em que trabalhou.

 

 

Publicidade

Compartilhe

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”