“A Vivo e eu fomos vítimas de uma situação”

Buscar
Publicidade

Comunicação

“A Vivo e eu fomos vítimas de uma situação”

De volta ao mercado como VP de negócios e estratégias da Wunderman, Cris Duclos fala sobre o desfecho do “caso Vivo” e como se prepara para atender a marca

Bárbara Sacchitiello
21 de agosto de 2017 - 8h39

(Crédito: Arthur Nobre)

Desde a semana passada, Cris Duclos começou a dar expediente na Wunderman, no cargo de vice-presidente de negócios e estratégias. A contratação da executiva pelo grupo Newcomm marca não somente a estreia de Cris no pilar das agências de publicidade – antes, a profissional havia atuado somente nas áreas de marketing de companhias – como também configura seu retorno ao mercado um ano depois a eclosão do “Caso Vivo”, que colocou o nome de Cris e de sua antiga empresa em uma série de boatos e especulações que se espalharam pelo mercado publicitário e imprensa.

Mais de um ano depois de ser demitida da função de diretora geral de imagem e de comunicação da operadora de telefonia, Cris procura colocar sua experiência a favor das agências de comunicação e também de sua antiga empregadora, já que será brand leader da Vivo, atuando como uma consultora das estratégias da marca dentro da Y&R e da Wunderman.

De acordo com a executiva, não há nenhum constrangimento em atuar junto com a empresa que a demitiu há mais de um ano. “Tenho uma ótima relação com a Vivo, com a atual presidência e com as pessoas de lá”, garante Cris.

Em entrevista ao Meio & Mensagem, a profissional falou sobre o encerramento do “caso Vivo” e contou como pretende usar a experiência acumulada na área de telecomunicações a favor das agências de publicidade. Confira os principais trechos da conversa:

Período fora do mercado
“Depois de sair da Vivo tive a oportunidade de analisar e estudar com mais profundidade algumas áreas do mercado. Conversei com muitas empresas e já havia decidido que queria um trabalho que me aproximasse mais do digital.”

Proposta do Grupo Newcomm
“Quando o Quintela (Marcos Quintela, presidente do Grupo Newcomm) conversou comigo, a Wunderman passava por um momento de transformação, com a formação de uma nova liderança. Havia vivenciado diversas transformações quando trabalhei na indústria de Telecom e achei que isso me capacitava para encarar esses desafios. A Wunderman é uma agência em franco desenvolvimento, que consegue unir uma estruturada inteligência de dados com criatividade.”

Mudança de lado
Como atuei sempre do lado das marcas tive a constante preocupação em criar e entregar soluções completas aos consumidores. Isso que tentarei aplicar no dia a dia da agência, utilizando minha experiência em mobile e entendimento tecnológico para propor soluções de comunicação, que podem não ser, necessariamente, campanhas, mas também novas ideias de tecnologias e negócios. E como na Wunderman eles atuam com clientes de diversos segmentos, como varejo, setor financeiro, tecnologia, estou me aprofundando em cada uma dessas áreas para conhecer melhor as indústrias e propor soluções eficientes.”

Brand Leader
“Já existia uma movimentação interna das duas agências (Y&R e Wunderman) para melhor servir a Vivo, uma vez que, quando integradas, elas conseguem oferecer soluções melhores e mais completas. Minha vinda servirá como apoio desse processo, pelo conhecimento que tenho da marca Vivo e do setor de Telecom. Terei a função de olhar, agora do lado de dentro, toda a entrega das agências e desenvolver as melhores maneiras de atender a Vivo.”

Caso Vivo
“Minha relação com a Vivo é ótima. Havia uma questão com a empresa que foi encerrada com a publicação do comunicado (assinado em conjunto com a Vivo, o texto, publicado no Valor Econômico em dezembro de 2016, assegurava a idoneidade a executiva e descartava qualquer irregularidade durante sua gestão). Isso já foi superado. Minha relação com a empresa é ótima, tenho muito carinho pela equipe e pela atual presidência. Isso nunca foi perdido. O boato em que fui envolvida não foi criado pela Vivo, mas era necessário que a corporação se posicionasse e assim o fez. Na verdade, a Vivo e eu fomos vítimas de um boato e de uma situação e ficou claro que nada daquilo existia.”

Expectativas no novo cargo
“Acredito que uma visão externa sempre pode contribuir muito para a empresa. A expectativa é de evolução, não de transformação. O fato de Quintela ter me contratado e estar também trazendo outras pessoas significa que a agência está procurando se adaptar para melhor atender aos clientes no contexto atual do mercado. A Wunderman é uma agência sólida, com uma entrega enorme e que está empenhada e com muita vontade de evoluir. Espero contribuir para isso.”

Publicidade

Compartilhe

Veja também