WPP oficializa: Mark Read é o novo CEO

Buscar

Comunicação

Publicidade

WPP oficializa: Mark Read é o novo CEO

Cinco meses depois da conturbada saída de Sorrell, co-COO do grupo é escolhido para conduzir os negócios da maior holding de comunicação do mundo


3 de setembro de 2018 - 8h40

Mark Read é o novo líder dos negócios do WPP (Crédito: Divulgação/WPP)

Nesta segunda-feira, 3, o WPP finalmente oficializou Mark Read como o novo CEO da holding. A escolha pelo executivo – que desde abril ocupava o posto de co-COO do grupo, era esperada internamente e também pelos investidores e executivos da indústria de comunicação em todo o mundo.

Em um comunicado publicado em seu site, o WPP oficializa a nomeação de Read como CEO e também como diretor executivo do board da holding. No comunicado, Roberto Quarta, chairman do WPP, declarou que “o board conduziu um rigoroso processo de seleção, avaliando os candidatos internos e externos. Esse processo, que acompanhou a sensatez e o padrão de negócios de Mark nos últimos meses, não deixou dúvidas de que ele é o líder certo para nossa companhia e estamos satisfeitos em anunciar que, por decisão unânime, o board o aponta como o chief executive officer do WPP”, disse Quarta.

“Reconhecido por sua liderança na indústria, ele é um profundo conhecedor dos negócios, conta com um grande suporte interno e conquistou respeito de nossos clientes pelo seu constante foco em suas necessidades. Ele tem desempenhado um papel central em muitos dos investimentos e iniciativas de sucesso do WPP e tem grande experiência nas operações do board”, completou Quarta.

O comunicado do WPP lembra que Read passou os últimos anos como CEO da Wunderman, uma das mais importantes marcas da holding. O executivo também foi o nome à frente dos negócios digitais do WPP.

No comunicado, Mark Read também comentou sobre a nomeação. “O WPP é uma grande companhia, com pessoas excepcionais e fortes relações com clientes que dão grande valor a nosso trabalho. Poucas companhias possuem nosso alcance global – 130 mil pessoas que entregam resultados a clientes em 112 diferentes países. Menos ainda têm nosso poder de combinar criatividade e expertise em dados e tecnologia. Nossa indústria está passando por um período de mudanças estruturais – não de declínio estrutural – e se nós abraçarmos essa mudança podemos vislumbrar um excitante e bem-sucedido futuro. Nossa missão agora é entregar todo o potencial que existe na companhia para o benefício de nosso clientes, para acelerar nossa transformação e nossa oferta para posicionar o WPP rumo a um forte crescimento”, disse o novo CEO.

O posto de comando do WPP estava vago desde abril, quando o fundador da holding – e um dos maiores nomes da indústria da comunicação – Martin Sorrell, deixou o negócio após acusações de má conduta profissional. Investigações apontaram que Sorrell teria usado verbas do grupo para pagar atividades de prostituição. O executivo negou veementemente todas as acusações e, em junho, anunciou uma nova investida na indústria da comunicação.

Com a escolha de Read, Andrew Scott – que vinha dividindo com o executivo a posição de co-CEO – assume sozinho o posto de chief operating officer do WPP.

A holding ainda deu detalhes a respeito da remuneração de Read. O CEO será pago de acordo com a política de compensação do grupo, aprovada em setembro de 2016: seu salário anual será de US$ 975 mil libras, com direito a bônus anual de até 250% do salário.

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • Negócios

  • Internacional

  • wpp

  • Martin Sorrell

  • Mark Read

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”