Fiuk e Fábio Jr. se unem à Amil para falar sobre saúde mental

Buscar

Comunicação

Publicidade

Fiuk e Fábio Jr. se unem à Amil para falar sobre saúde mental

Pai e filho protagonizam filme da companhia de saúde criado pela BETC Havas, que busca abrir diálogo sobre o assunto

Valeria Contado
3 de agosto de 2021 - 16h00

Fiuk e Fábio Jr. protagonizam campanha da Amil sobre saúde mental. (Crédito: Divulgação)

O ex-BBB Fiuk e seu pai Fábio Jr. são os protagonistas da campanha “O que é que há?”, criada pela BETC Havas. O intuito da Amil, marca para qual o filme foi produzido, é engajar a população e abrir diálogos a respeito de questões sobre saúde mental e Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH), do qual Fiuk é portador.

A principal intenção da Amil ao chamar atenção para esse assunto, contando com a participação de pai e filho, é quebrar os tabus em relação ao tema e mostrar como o tratamento e a procura por ajuda podem ser importantes para as pessoas. Além disso, o processo de percepção do problema também faz parte dos tópicos debatidos.

Luiz Periard, diretor de marketing da Amil, comenta que a empresa se preocupou em reverter a curva da escalada de adoecimento mental, e reforça o compromisso da marca com a saúde dos brasileiros. “Com a chegada da Covid-19 e a expectativa de impactos na saúde mental no período pós-pandêmico, intensificamos nossa comunicação para acabar com o preconceito sobre o tema e ajudar as pessoas a compreenderem a importância de identificar sintomas, oferecer apoio e buscar ajuda especializada”, reflete.

A principal estratégia de comunicação adotada pela BETC Havas foi estar presente nas redes sociais e meios digitais, principalmente no YouTube. A campanha conta, ainda, com uma reflexão e incentivo à busca de apoio.

Os cuidados com a saúde mental, que já vêm sendo abordados e forma mais aberta pela sociedade, ganharam ainda mais destaque nos últimos dias. A ginasta estadunidense multicampeã Simone Biles surpreendeu ao anunciar a sua retirada de algumas provas durante o ciclo Olímpico. A atleta afirmou que precisava, inicialmente, cuidar da saúde mental. A tenista Naomi Osaka, escolhida para acender a pira olímpica no Japão, também já havia se manifestado a respeito do assunto ao optar por não participar do Aberto da França e de Wimbledon.

As atletas chamaram atenção por abrir uma conversa a respeito da saúde mental nos esportes. Nesse contexto, assim como a Amil, marcas como Visa, Cartoon, Netflix, entre outras, nos Estados Unidos, se movimentaram em apoio as atletas e para falar sobre o assunto.

Publicidade

Compartilhe