Jeff Bezos deixará cargo de CEO da Amazon

Buscar

Gente

Publicidade

Jeff Bezos deixará cargo de CEO da Amazon

Fundador da gigante do varejo passará o comando da empresa a Andy Jassy no terceiro trimestre, mas seguirá como chairman executivo


2 de fevereiro de 2021 - 18h35

Crédito: Mark Wilson/Getty Images

Atualizada às 19h20

Em um comunicado enviado aos funcionário da Amazon nesta terça-feira, 2, Jeff Bezos, fundador e CEO da Amazon, anunciou que está se preparando para deixar o comando executivo da companhia no terceiro trimestre deste ano. Seu lugar será ocupado por Andy Jassy, atual CEO da Amazon Web Services (AWS), plataforma de computação em nuvem da empresa.

No anúncio feito aos funcionários, Bezos diz que passará a desempenhar a função de chairman executivo, função em que se concentrará no desenvolvimento de novos produtos e iniciativas.

“A jornada começou há 27 anos. A Amazon era só uma ideia e nem tinha nome. A pergunta que mais respondi por um bom tempo foi ‘O que é a internet’. Felizmente, não tenho que explicar isso há um longo tempo. Hoje empregamos 1,3 milhões de talentos, pessoas dedicadas que atendem centenas de milhões de consumidores e de negócios e somos amplamente reconhecidos como uma das mais bem sucedidas empresas do mundo”, disse Bezos, no início do comunicado.

O executivo segue mencionando diversas soluções e tecnologias em que a empresa foi pioneira, como os reviews de clientes, recomendações personalizadas e a criação de devices como Kindle e Alexa e falou sobre as funções que pretende desempenhar no posto de chairman. “Milhões de consumidores dependem de nós e de nossos serviços e mais de um milhão de funcionários dependem de nós para seu sustento. Ser CEO da Amazon traz uma profunda e isso é desgastante. Quando você tem uma responsabilidade como essa, é difícil dar atenção a qualquer outra coisa. como chairman executivo estarei engajado nas iniciativas importantes da Amazon mas também terei o tempo e a energia que preciso para focar na Day 1 Fund e na Bezos Earth Fund, além da Blue Origin, The Washington Post e minhas outras paixões.Nunca tive tanta energia e isso não tem a ver com aposentadoria. Sou super apaixonado pelo impacto que essas organizações podem ter”, disse.  Bezos também ressalta que a Amazon não poderia estar mais preparada para o futuro.

Bezos fundou a Amazon em 1994 e tornou a rede varejista uma das maiores plataformas de e-commerce do mundo, bem como um símbolo de inovação em tecnologia e soluções em diversos serviços, como computação em nuvem, produtos e streaming. A Amazon é, hoje, uma das companhias mais valiosas do mundo, com valor de mercado estimado em US$ 1,7 trilhão.

No quarto trimestre do ano passado, a empresa faturou um montante de US$ 125,6 bilhões em vendas, o que representou um crescimento de 44% em relação ao mesmo período do ano anterior. A Amazon fechou 2020 com lucro de US$ 21,3 bilhões, bem superior ao lucro de US$ 11,6 bilhões registrado em 2019.

Segundo ranking da Forbes divulgado no ano passado, Bezos é o homem mais rico do mundo, com patrimônio de mais de US$ 200 bilhões. Ele foi o primeiro empresário, inclusive, a alcançar tal marca em toda a história do ranking.

Compartilhe