Telefonia é a mais reclamada nos Procons

Buscar
Publicidade

Marketing

Telefonia é a mais reclamada nos Procons

Setor respondeu por 19,1% dos 2,49 milhões de atendimentos realizados no ano passado, aponta o Boletim Sindec 2014


9 de fevereiro de 2015 - 3h54

O Brasil registrou uma média mensal de 206 mil atendimentos em 2014. Ao todo, foram realizados 2.490.769 atendimentos pelos Procons integrados ao Sistema Nacional de Informações de Defesa do Consumidor (Sindec). Reclamações e denúncias representaram 62,7% dos atendimentos totais no ano passado, enquanto os 37,3% restantes se referiram a consultas e orientações.

Os dados do Boletim Sindec 2014, divulgados nesta semana pela Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) do Ministério da Justiça, levam em conta os números de 26 Procons estaduais e de 336 municipais, além do Distrito Federal. Em 2013, o número total de atendimentos foi de 2.481.958.

Os setores de telefonia fixa, com 9,8% dos atendimentos, e o de telefonia móvel, com 9,5%, foram os dois mais reclamados. Na sequência aparecem bancos (7%), cartão de crédito (6,5%) e TV por assinatura (5,8%). Veja o ranking completo abaixo.

wrapswraps

No segmento de telecomunicações, a Oi foi a mais reclamada com 196.377 atendimentos. O segundo lugar é da Telefónica Vivo (111.778), seguida de perto pela Claro Embratel (110.339). Também aparecem na lista Sky (67.343), TIM Intelig (52.374), Net (34.876), GVT (21.350) e Nextel (6.658).

No caso dos bancos, a liderança é do Itaú, com 81.537 atendimentos. Bradesco, com 73.552, ocupa a segunda colocação. Caixa (36.298), Santander (33.693) e Banco do Brasil (20.564) complementam os cinco mais reclamados.

Já no varejo, Casas Bahia, Extra e Ponto Frio somaram 50.585, a frente de Ricardo Eletro, Insinuante, City Lar e EletroShopping, com 28.730, e Magazine Luiza, com17.101. Na indústria, por sua vez, Samsung (29.250), Lenovo, CCE, digibras (25.953), Britania e Philco (12.851), Electrolux (11.765) e Consul e Brastemp (11.696), foram as mais reclamadas.

Os Procons enviaram mais de 800 mil notificações no ano passado e 76% tiveram resolução por parte dos fornecedores. 

Publicidade

Compartilhe

Veja também