Menos custos e mais eficiência

Buscar

Marketing

Publicidade

Menos custos e mais eficiência

Com tecnologias já disponíveis no mercado, Loja do Futuro do Latam Retail Show quer apresentar soluções rápidas e produtivas para o varejo

Guilherme Fernandes
23 de agosto de 2016 - 17h03

Ao entrar numa loja, os dados do seu celular permitem ao vendedor desenhar um atendimento personalizado para você. Não há o tamanho que você procura? Sem problemas. A peça será entregue em sua casa. E, para finalizar, você fecha a compra num serviço de autoatendimento, sem filas. É o que promete a Omniera – Loja do Futuro, em exposição no Latam Retail Show, evento organizado pela GS&MD Gouvêa de Souza, que acontece entre 23 e 25 deste mês, em São Paulo.

 

loja 1

Loja do Futuro (crédito: divulgação)

Apesar do termo futuro, as soluções são para o presente. Com ambientes físicos do segmento de moda, alimentação, beleza e conveniência, a loja traz recursos que já estão disponíveis no mercado para aplicação no varejo. “O lema é diminuir custos e aumentar a eficiência no curto prazo, sem grandes inovações, em sintonia com o momento econômico do Brasil”, explica Ricardo Michelazzo, CEO da GS&COMM, empresa que impulsionou a loja junto a parceiros digitais e varejistas. O empreendimento foi montado pela primeira vez em 2015, no mesmo evento.

A partir do mobile, tecnologias conectam clientes, vendedores e gestores dentro da loja

O esforço consiste em quebrar as barreiras entre o mundo físico e o digital, por meio da integração omnichannel, ou seja, entre todos os canais de compra. As tecnologias escolhidas para 2016, algumas já em uso nos e-commerces, são menos disruptivas e mais produtivas. Um tanto diferente do ano passado, lembra Michelazzo, já que recursos como o espelho inteligente, no qual o cliente poderia provar roupas digitalmente, fazia com que as pessoas passassem bastante tempo experimentando os modelos, mas sem comprá-los de fato. O objetivo, acima de tudo, é apresentar experiências que convençam o consumidor a efetuar a compra.

É o mobile que conecta clientes, vendedores e gestores na loja de 2016, por meio de softwares da Totvs, Vtex, Linx, Teradata e Facebook. Este último fornece principalmente dados sociais de quem se encontra na loja, que se somam às informações transacionais do cliente, obtidas pelos softwares via histórico de navegação do celular, por exemplo. É possível saber se o consumidor clicou em determinado produto no site da loja ou se abandonou uma compra no carrinho do e-commerce, por exemplo. Todas essas ferramentas visam personalizar o atendimento, segundo Michelazzo. A prateleira infinita, que mostra todo o estoque no e-commerce, e o click collect, no qual o cliente faz o pedido num local – num café, por exemplo – e retira em outro ponto da loja, estão entre os recursos disponíveis.

20160802_Loja do Futuro Planta Humanizada R07 (2)

Planta da Loja (crédito: divulgação)

Além das informações e preferências do cliente, outras ferramentas estão disponíveis ao vendedor, como a coordenação das filas. Já o gestor acompanha toda a movimentação da loja em tempo real, por meio de mapeamentos, histórico do estoque e integração dos canais e ferramentas. “Além da informação em tempo real, as tecnologias deste ano oferecem planos de ação para o gestor melhorar o desempenho”, diz Michelazzo. Todas as ferramentas de gestão também poderão ser acessadas no celular do profissional.

O staff de promotores da loja é composto por profissionais da Marco Marketing Consultants. Segundo comunicado da empresa, a proposta do atendimento é mostrar a importância do treinamento para que o aspecto humano contribua para uma experiência de compra positiva e agradável.

Para implementar tais medidas, é fundamental que a loja já tenha integrado tanto a base de dados de seus clientes quanto suas transações online e off-line, ressalta Michelazzo. Por conta desse fator, o CEO acredita que nenhum estabelecimento implantará esses recursos de uma vez. Nenhuma loja no Brasil também utiliza todas essas tecnologias na íntegra, e talvez nem no mundo isso aconteça, pelo menos em larga escala, segundo o profissional.

Para Michelazzo, as lojas médias são as mais propícias a implementar os recursos mostrados na loja montada no Latam Retail Show, evento dedicado ao varejo, franchising, e-commerce e shopping centers. “Elas são menos burocráticas, tecnologicamente mais ágeis e utilizam menos softwares”.

Publicidade

Compartilhe