Centauro faz shop streaming em loja na Paulista

Buscar

Marketing

Publicidade

Centauro faz shop streaming em loja na Paulista

Evento terá participações de Glenda Kozlowski, Cafu e Andressinha; Gustavo Milo Marasco, gerente executivo de marketing, comenta a estratégia de sair dos shoppings para as ruas

Roseani Rocha
5 de novembro de 2020 - 6h00

No final de setembro, a Centauro, rede de artigos esportivos com presença até então reservada aos shopping centers abriu sua primeira loja de rua. E não em qualquer rua, mas na avenida que é o centro afetivo de São Paulo. A loja, de 2.145 m², fica na Avenida Paulista e apesar de estar funcionando no sistema “soft opening”, ou seja, sem alarde, terá nesta quinta-feira, 5, um evento online oficial de inauguração das 20h às 22h. Vão participar do encontro Glenda Kozlowski, Cafu e Andressinha, entre outros atletas. Com a inauguração, a Centauro passou a ter 208 lojas, distribuídas pelos 26 estados, sendo a da Paulista uma das cinco maiores, seguindo o formato que a rede chama 5G – que privilegia experiência do cliente, informações e serviços personalizados, entre outros atrativos. Gustavo Milo Marasco, gerente executivo de marketing da Centauro, detalha as ações do shop streaming para esta noite e comenta a estratégia da rede de, após 39 anos de mercado, competir agora também no mercado de rua – a concorrente Decathlon, desde 2018 também se estabeleceu na Paulista.

Meio & Mensagem – Essa iniciativa de ter loja de rua já estava nos planos da Centauro ou foi uma reação à concorrente que desde junho de 2018 se instalou também na Av. Paulista?
Gustavo Milo Marasco – Sim, já fazia parte dos nossos planos. A Paulista é um ícone de São Paulo, tanto do ponto de vista cultural quanto de negócios. Levar para o coração da cidade o nosso novo modelo, que já é vencedor e tem crescido acima da média quando comparado ao modelo anterior, é um movimento muito importante. Estamos falando de uma via com um fluxo de pessoas muito alto e potencial para a companhia. Além de se tratar da primeira loja de rua e de uma nova via de crescimento para a empresa, vale destacar a relevância do canal físico para os negócios e para a jornada de decisão do consumidor. Hoje, 50% das compras feitas pelo site da Centauro passam por uma loja física.

M&M – Vocês tiveram de adiar a inauguração “oficial” da loja. Como será o evento agora?
Gustavo – Estamos vivendo um momento em que todo o cuidado é pouco, devido à pandemia. A nossa mestre de cerimônias, Glenda Kozlowski, ficou doente na véspera da live. Então, decidimos adiar o evento para aguardar sua recuperação e continuar contando com sua participação. Afinal, o objetivo da live é levar esporte, entretenimento e expressão ao espectador, e ela terá um papel muito importante nesse sentido. Vamos apresentar a nossa nova loja de uma maneira diferente, única, divertida, prazerosa, com muito conteúdo, além de trazer descontos exclusivos para a audiência da live. A live de abertura será um misto de programa de TV e shop streaming, direto da loja – que fisicamente estará fechada. A transmissão acontece nessa quinta-feira (5), a partir das 20h, no perfil da Centauro no Facebook (https://fb.me/e/1zsCT4AjP). Além da Glenda, um time de personalidades foi escalado para revelar a loja e seus diferenciais, mostrar produtos em destaque e áreas da loja, engajar e divertir o público e, principalmente, incentivar a prática esportiva e o gesto solidário. Entre eles, as estrelas do futebol Cafu e Andressinha, os atletas olímpicos Solonei e Adriana, os influenciadores Os Banheiristas, Futliga e Tênis Certo e a fundadora da Wondersize, Amanda Momente, entre outros. Durante a transmissão, o cupom LIVECENTAURO vai garantir um desconto de 20% em todos os produtos vendidos e entregues pela Centauro, no site www.centauro.com.br. Um QR Code, disponibilizado na tela da live, vai direcionar os espectadores interessados para a página de compra. Ou seja, o consumidor poderá adquirir simultaneamente os itens exibidos ao vivo na programação, seja no site, no chat ou no televendas. Parte do valor das vendas, realizadas a partir do mesmo cupom, será destinado a ONGs do Transforma, programa da empresa em apoio a organizações que utilizam o esporte como ferramenta de inclusão educacional e social. As instituições beneficiadas serão: Social Skate, Santa Fé Hunters, Eprocad, Instituto Seci, Instituto Patrícia Medrado, São Mateus em Movimento, NEAC, Lar Sírio, Skateboard CDD, Arrastão, Nasce, Skate Solidário e ABAPE. Outra forma de contribuir, será através de um leilão beneficente, inaugurado durante a live. Entre os dias 5 de novembro e 5 de dezembro, camisas de futebol doadas e autografadas por jogadores e chuteiras personalizadas por influenciadores, entre outros itens, serão leiloados em parceria com a Play For a Cause, por meio da plataforma www.centauro.playforacause.com.br. O valor arrecadado também será destinado às ONGs apoiadas pela Centauro. Na plataforma será possível encontrar itens doados por grandes nomes do esporte, por exemplo, as chuteiras assinadas pelos craques Cafu e Gabigol, e camisas assinadas por jogadores do São Paulo, Palmeiras, Inter, Cruzeiro, Flamengo e também pelo time feminino do Corinthians.

M&M – O que a Centauro espera com lojas de rua? Quais as vantagens e desvantagens em relação aos shoppings?
Gustavo – A Paulista é um ícone de São Paulo, tanto do ponto de vista cultural quanto de negócios. É uma via com um fluxo de pessoas muito alto. A loja da Paulista, além de se tratar da primeira loja de rua e de uma nova via de crescimento para a empresa, reforça a relevância do canal físico para os negócios e para a jornada de decisão do consumidor. Como dito anteriormente, hoje, 50% das compras feitas pelo site da Centauro passam por uma loja física. Contudo, a loja de shopping, que é um formato reconhecido e vencedor, segue sendo a aposta da companhia. Inclusive, é muito importante ressaltar que a Centauro acredita que o shopping vai continuar tendo um papel muito importante na vida do brasileiro.

M&M – Qual o plano de expansão da marca fora dos shoppings? Já têm outras unidades abertas ou com previsão de inauguração este ano ainda ou para 2021? (se sim, onde?)
Gustavo – Não podemos comentar planos futuros, por sermos uma empresa listada na bolsa.

M&M – Um pouco depois da decretação do isolamento social, vimos crescerem as vendas online de acessórios esportivos. Por outro lado, as lojas e parques estavam fechados, não havia eventos esportivos, o que deve ter pesado negativamente. Como ficou a performance de vendas da Centauro nesses meses e qual é o momento agora, que existe flexibilização grande, mas também muito impacto econômico da crise?
Gustavo – Desde que a pandemia teve início, a Centauro entendeu que precisava atuar em dois pilares: primeiro, proteger seus colaboradores, com uma série de medidas de prevenção e segurança. E, em segundo lugar, incentivar que o brasileiro não ficasse parado, mesmo dentro de casa. Por isso, lançamos a iniciativa “Treine em Casa”, um projeto que consistia justamente em incentivar a prática de atividades físicas em casa, durante a quarentena. Treinos diários, ao vivo e gratuitos, conduzidos por um grupo de profissionais de educação física, credenciados, com aulas transmitidas três vezes ao dia no perfil @centauroesporte, no Instagram. Em menos de um mês, já tínhamos mais de 300 mil visualizações. Essa iniciativa, em conjunto com os novos hábitos adotados pelos consumidores durante o isolamento, impactou diretamente nas vendas do e-commerce da Centauro. Tivemos produtos, como anilhas e halteres, que cresceram mais de 2.000% em vendas. Faixas elásticas e caneleiras também despontaram, crescendo nas vendas 16 e 14 vezes, respectivamente. E bicicletas para spinning tiveram aumento de mais de 3.000% nas vendas do e-commerce. Contudo, vale destacar que, independentemente da pandemia, nosso e-commerce já vinha num crescimento sólido, devido nossa estratégia omnichannel, que garante comodidade e flexibilidade a quem compra, através de diversos pontos de contato. As lojas físicas, embora fechadas durante os primeiros meses da pandemia, atuaram estrategicamente como shadow stores (lojas que, mesmo fechadas ao público, puderam operar como hub omnichannel, ou seja, produtos vendidos pelo site saem para entrega por meio da loja mais perto do consumidor).

M&M – Teremos este mês a Black Friday. O que prepararam para a data e qual o impacto que o evento costuma ter nas vendas da Centauro?
Gustavo – A Black Friday para a Centauro, assim como para outros varejistas que tem operação online, é o dia mais importante do ano. Com relação a preparativos e planos futuros, ainda não podemos comentar por sermos uma empresa listada na bolsa.

M&M – No balanço geral, como a companhia deve fechar 2020 em termos de vendas/faturamento? Como analisam o cenário competitivo do segmento no País?
Gustavo – Estamos otimistas com o retorno das atividades cotidianas, diante da flexibilização. Temos duas datas importantes nos próximos meses que sempre movimentam o setor do varejo: a Black Friday e o Natal. Contudo, não podemos fazer projeções sobre nosso resultado, por sermos uma empresa listada na bolsa.

Publicidade

Compartilhe