Presidente da Tóquio 2020 renuncia após fala sexista

Buscar

Marketing

Publicidade

Presidente da Tóquio 2020 renuncia após fala sexista

Yoshiro Mori, presidente do Comitê Organizador e ex-primeiro-ministro japonês, reclamou da presença de mulheres em conselhos de administração

Fernando Murad
12 de fevereiro de 2021 - 12h10

Yoshiro Mori: “Gostaria de retirar tudo o que disse” (crédito: reprodução)

O presidente do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Tóquio 2020 Yoshiro Mori renunciou ao cargo nesta sexta-feira, 12. O ex-primeiro-ministro do Japão foi pressionado após críticas por suas falas sexistas na quarta-feira, 3, em reunião do Comitê Olímpico Japonês – que anunciou, no ano passado, a intenção de ter um conselho de administração integrado por 40% de mulheres, contra 20% atualmente.

Segundo Mori, mulheres “têm dificuldades” em ser concisas e “têm o espírito de competição”. “Se uma levanta a mão, as outras acham que também devem se expressar. É por isso que todas acabam falando”, disse. “Se você aumenta o número de membros executivos do sexo feminino, e se seu tempo de palavra não estiver limitado em certa medida, terão dificuldade para terminar, o que é irritante”, complementou.

Após pedir desculpas, mas descartar a hipótese de renunciar na quinta-feira, 11, o dirigente anunciou o desligamento nesta sexta-feira, 12. “Minha declaração provocou muito caos. Desejo renunciar como presidente a partir de hoje. Vou renunciar ao cargo de presidente do comitê”, disse Mori.

Ao pedir desculpas, Mori disse que as declarações vão contra o espírito dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos, e, portanto, são inapropriadas. “Gostaria de retirar tudo o que disse”. Ao jornal Mainichi, afirmou que falou “sem pensar” e que recebeu broncas da esposa e da filha. “Estava tentando dizer que questionava a opinião geral de que devemos aumentar o número de mulheres em cargos executivos, mas não queria menosprezar as mulheres”.

Para definir o sucessor, o Comitê Organizador terá um Comitê de Revisão de Candidatos com representação igual de gênero, incluindo representantes de atletas. Thomas Bach, presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), disse que “respeita totalmente a decisão do presidente Mori de renunciar e entende seus motivos”. Sobre o processo de nomeação do substituto, o COI disse que “este é um compromisso claro com a igualdade de gênero, que está totalmente alinhado com a Agenda Olímpica 2020”.

Publicidade

Compartilhe