Com saída de Bezos, Amazon revisa valores corporativos

Buscar

Marketing

Publicidade

Com saída de Bezos, Amazon revisa valores corporativos

Princípios pedem que os empregados levem em consideração o bem-estar de seus colegas e da sociedade quando tomarem decisões


5 de julho de 2021 - 18h00

Por Advertising Age

Os funcionários da Amazon devem trabalhar com base em um código de longa data de 14 valores corporativos. Na quinta-feira, 1, poucos dias antes do fundador Jeff Bezos deixar o cargo de CEO, a empresa alterou a lista, adicionando mais dois marcadores.

 

Bezos entrega a liderança da empresa ao antigo deputado Andy Jassy (Crédito: Mark Wilson/Getty Images)

Os novos “Princípios de Liderança” – “Esforce-se para ser o melhor empregador da Terra” e “Sucesso e escala trazem ampla responsabilidade” – exigem que os funcionários levem em consideração o bem-estar de seus colegas de trabalho e da sociedade para além das paredes da empresa ao tomar decisões. Eles também abordam críticas persistentes à empresa como um local de trabalho agressivo e cidadão corporativo imprudente.

O primeiro novo princípio se baseia em uma promessa feita por Bezos no início deste ano em sua carta final aos acionistas como CEO: um apelo para tornar a empresa um lugar melhor para trabalhar e criar valor para os trabalhadores, não apenas para os clientes. Esse apelo vem seguido de relatos de altos índices de lesões em uma instalação da Amazon em Bessemer, no Alabama, e um ano de agitação nos armazéns da empresa, quando alguns trabalhadores reclamaram que a administração os considerou dispensáveis durante a pandemia.

“Líderes trabalham todos os dias para criar um ambiente de trabalho mais seguro, produtivo, com melhor desempenho, mais diversificado e mais justo”, diz o princípio. “Eles lideram com empatia, se divertem no trabalho e tornam mais fácil para os outros se divertirem”.

A segunda aborda uma crítica de longa data à empresa sediada em Seattle, de que uma ascensão meteórica baseada na promessa de Bezos de satisfazer os clientes, em momentos, a Amazon deu pouca atenção a outros constituintes, incluindo às comunidades onde seus funcionários vivem e ao meio ambiente.

“Somos grandes, impactamos o mundo e estamos longe de ser perfeitos”, diz o segundo novo princípio. “Devemos ser humildes e atenciosos até mesmo sobre os efeitos secundários de nossas ações. Nossas comunidades locais, planeta e gerações futuras precisam que sejamos melhores a cada dia”, pontua.

O conjunto de princípios do maior varejista online tem servido como uma espécie de cola para funcionários, projetada para incentivá-los a satisfazer os clientes, fazer o negócio crescer e evitar a complacência que pode seguir o sucesso. Os funcionários são contratados e avaliados pela forma como estão de acordo com os princípios, e a lista talvez seja a maior contribuição da Amazon para a ciência de gestão, uma codificação do pensamento de Bezos.

Bezos entrega a liderança da empresa ao antigo deputado Andy Jassy, nesta segunda-feira, 5.

Tradução: Henrique Cesar Mello

**Crédito da imagem no topo: Christian Wiediger

Publicidade

Compartilhe