Marcas entram na onda dos nudes na despedida do Fleets

Buscar
Publicidade

Marketing

Marcas entram na onda dos nudes na despedida do Fleets

Últimas horas da ferramenta de compartilhamento de conteúdo do Twitter foi marcada pelo envio de nudes e brincadeiras de empresas e personalidades

Bárbara Sacchitiello
2 de agosto de 2021 - 18h40

As últimas horas de “vida” do Fleets, recurso criado pelo Twitter no ano passado para permitir o compartilhamento de conteúdo de forma ágil, que expirava em 24 horas, tem sido bastante agitada no Brasil. Para marcar o encerramento da ferramenta, usuários da rede social começaram a sugerir que as pessoas aproveitassem os momentos finais do Fleet para enviar nudes.

Com a movimentação, o termo “Fleets” acabou figurando entre os assuntos mais comentados no Twitter no domingo, 1º de agosto, e também ao longo dessa segunda-feira, 2. Muitas pessoas, inclusive celebridades, aproveitaram o encerramento da ferramenta para exibir suas poses mais sensuais, atiçando a curiosidade dos demais usuários que passaram a visualizar – e também a postar algo – na ferramenta.

Não demorou para que as marcas também entrassem na onda e aproveitassem as últimas horas do Fleet para fazer postagens. O Globoplay, por exemplo, postou algumas cenas da trama “Verdades Secretas”, fazendo uma comparação entre as fotos sensuais e o conteúdo que as pessoas estavam postando na rede social. O perfil da Netflix no Brasil também fez uma brincadeira com o assunto.

Já a Avon e o Magazine Luiza brincaram com os tipos de nudes que estavam sendo distribuídos na ferramenta e aproveitaram para distribuir os seus:


 

Já o Ponto brincou com a curiosidade do público, indagando sobre o que as pessoas estavam procurando na ferramenta:

Concorrência com os Stories
O recurso do Fleets foi anunciando no ano passado como uma alternativa aos Stories, do Instagram. Na época, o Twitter declarou que havia criado a ferramenta para ajudar os usuários que queriam compartilhar algum pensamento ou conteúdo efêmero, que tinha sua importância naquele momento mas que não precisaria permanecer na timeline de forma perene.

A empresa, no entanto, admite que a ferramenta não teve a adesão esperada e, por isso, seria encerrada. “Esperávamos que os Fleets ajudassem mais pessoas a se sentirem confortáveis em participar das conversas no Twitter. Mas, desde que apresentamos o recurso a todos, não vimos um aumento no número de novas pessoas entrando nas conversas com o Fleets, como esperávamos”, declarou a rede social.

Publicidade

Compartilhe

Veja também