Google fatura US$ 6,1 bilhões com publicidade no trimestre

Buscar
Publicidade

Mídia

Google fatura US$ 6,1 bilhões com publicidade no trimestre

Relatório financeiro da companhia mostra um salto de 32,5% na arrecadação no último trimestre de 2021, em comparação com o ano anterior


2 de fevereiro de 2022 - 14h13

(Crédito: Greg Bulla/Unsplash)

Com informações do Advertising Age

O Google divulgou nessa terça-feira 1, resultados que mostram que o quatro trimestre de 2021 foi muito forte para a companhia em termos de arrecadação obtida com publicidade. A empresa obteve, no período, uma receita de US$ 6,1 bilhões com comercialização de publicidade.

A Alphabet apresentou os resultados do quarto trimestre do ano, que mostram um crescimento de 32,5% na receita na comparação com o ano anterior, superando as estimativas de analistas de Wall Street. O bom desempenho de publicidade sinaliza que o Google pode ter superado os fatores econômicos que causaram a redução de investimentos por parte de algumas marcas.

Um executivo do Google atribuiu o crescimento de publicidade ao período de festas de fim de ano e também a uma onda de negócios gerada pelo YouTube e pelo search. O YouTube, particularmente, está lançando outros produtos de publicidade para a área de live shops, que já foram usados por empresas como Walmart, Backcountry, Samsung e Verizon, de acordo com Philip Schindler, chief business officer da Alphabet, que participou de uma conferência nesta terça-feira, 1. “O varejo foi o maior responsável pelo aumento da receita publicitária, seguido das indústrias de finanças, mídia e entretenimento”, declarou Schindler.

O Google desenvolveu algumas iniciativas de publicidades para que os varejistas pudessem utilizar o serviço de buscas de forma mais inteligente, e com conexão às campanhas veiculadas no YouTube, de acordo com Schindler. A empresa também aumentou o investimento em inteligência artificial e está ajudando os anunciantes a gerenciarem essas campanhas. “Há muito por trás desse impulsionamento da simplicidade”, declarou o CEO da Alphabet, Sundar Pichai, durante a conferência.

As receitas de publicidade do YouTube cresceram 25%, atingindo a marca de US$ 8,6 bilhões. Nesse período, a plataforma de vídeos lançou anúncios linkados a catálogos de produtos além do vídeo action ads, ferramenta que permite que as pessoas façam compras diretamente pelo vídeo.

O impulso da publicidade de varejo no Google é um sinal da importância do social shopping e do e-commerce. A gigante de tecnologia compete com a Amazon em áreas como busca e compras online, assim como compete com Instagram e TikTok no segmento de vídeos. Todas essas plataformas vêm tentando unir vídeos, live streams e social media nas mesmas ferramentas de vendas.

O YouTube também tem o Shorts, uma ferramenta de vídeos curtos criada para competir com o TikTok. Segundo executivos, ela deverá ser mais explorada em termos de oportunidades de negócios. O Shorts foi lançado globalmente no ano passado.

A empresa também falou sobre a Privacy Sandbox, sua iniciativa de privacidade – assunto muito relevante para a publicidade, sobretudo por conta da extinção do suporte aos cookies de terceiros por parte do Chrome. Na semana passada, a empresa anunciou o Topics, uma ferramenta, que ainda está em fase de testes, que promete direcionar a publicidade de forma programática com base no interesse dos usuários. Alguns anunciantes estão preocupados que essa nova ferramenta possa diminuir o alcance dos anúncios.

Publicidade

Compartilhe

Veja também