2021: o ano dos eventos híbridos

Buscar

Opinião

Publicidade

2021: o ano dos eventos híbridos

Em uma economia criativa como a que vivemos, as novas tecnologias chegam como verdadeiras aliadas para o mercado audiovisual


1 de junho de 2021 - 17h47

(crédito: Pexels)

Se 2020 foi marcado pelas lives nas redes sociais, 2021 provavelmente ganhará o selo de “o ano dos eventos híbridos”. Ou seja, impulsionado pela forte presença da comunicação digital, o uso de equipamentos tecnológicos (como drones) e a criação de eventos tendo tudo isso como base.

Em uma economia criativa como a que vivemos, as novas tecnologias chegam como verdadeiras aliadas para o mercado audiovisual que só cresce. Só para ter uma ideia, de acordo com a PwC, o audiovisual representa um segmento que arrecada mais ou menos R$ 25 bilhões por ano no Brasil, ou 0,4% do PIB.

Não à toa, essa tendência invadiu os escritórios pelo país, principalmente para facilitar a comunicação empresarial com clientes e equipes — fora os negócios na área cultural e de eventos.

O que esperar para este ano

Palestrar em frente ao computador é diferente. Ou reunir toda a equipe para uma live que, em outros tempos, seria um grande encontro para os tradicionais apertos de mão e cafezinhos. 2021 continuará a guiar o mercado de audiovisual corporativo indoor.

É sempre bom lembrar que o online alcança mais pessoas. Sem contar nas possibilidades de criar conteúdo inteligente, chamativo, com altos recursos audiovisuais e apelo que prende a atenção de qualquer colaborador.

Algumas tendências que ganham os holofotes para o mercado corporativo são:

– Plataforma OTT: plataforma de distribuição de conteúdo pela internet, em que o usuário assiste sob demanda. Para as empresas, vai ser fácil disponibilizar palestras, gravações de lives, treinamentos, entre outros, para a equipe assistir quando e onde quiser.

– Filmagem com drone: pensar em produtoras de vídeo que não aproveitem os drones é algo que não combina. Além de conseguir ótimas filmagens que ajudam a ilustrar todo tipo de conteúdo, o equipamento veio para transformar as gravações corporativas em algo mais próximo e dinâmico.

– Vídeo 360º: conhecidos também como vídeos imersivos ou vídeos esféricos, os vídeos em 360º também conquistaram o mercado de audiovisual corporativo. Junto com as imagens captadas com os drones, por exemplo, um material empresarial fica rico, diferente e cria uma ótima experiência por quem assiste.

Lives, elas vieram para ficar

E por que tanta gente tem aderido às lives e conteúdos em streaming? Porque o ser humano não “foi feito” para ficar longe de outras pessoas, da interação normal do dia a dia. Por isso, alguns dos efeitos do confinamento foi exatamente o de procurar alternativas para que o contato humano continuasse, e as lives se encaixaram como ninguém, das mais tradicionais como palestras, musicais, religiosas até mesmo para as mais inusitadas como relacionada a política e feirão de automóveis.

A transformação digital vem voando nas asas da tecnologia dentro e fora de empresas. No YouTube, por exemplo, o crescimento de conteúdo ao vivo foi cerca de 4.900% na quarentena, de acordo com a própria empresa. O que impulsiona todo esse aumento, tanto para YouTube como Instagram, é, sem dúvidas, a espontaneidade — um estudo feito pela consultoria Forrester e da IBM mostra, por exemplo, que a audiência das lives chega a ser de 10 a 20 vezes maior do que a dos vídeos tradicionais gravados.

O mundo passa por um momento em que há uma real necessidade de entretenimento, função social e, principalmente, um desejo de não ficar parado.

**Crédito da imagem no topo: DKosig/iStock

Publicidade

Compartilhe