Amazon planeja demitir cerca de 10 mil funcionários

Buscar

Amazon planeja demitir cerca de 10 mil funcionários

Buscar
Publicidade

Mídia

Amazon planeja demitir cerca de 10 mil funcionários

Companhia registrou queda de valor de mercado na última semana e segue tendência vista em outras empresas, como Meta e Twitter


14 de novembro de 2022 - 14h33

Depois de big techs como Google, Meta e Twitter, a Amazon parece ser a próxima companhia a arquitetar a demissão de milhares de colaboradores. De acordo com reportagem do The New York Times, a companhia pretende cortar o emprego de cerca de 10 mil funcionários nas áreas corporativas e de tecnologia.

 

Escritório da Amazon

(Crédito: Sundry Photography/Shutterstock)

As demissões deverão se concentrar na divisão de varejo, recursos humanos e departamentos relacionados a dispositivos da companhia, como a Alexa. O anúncio acontece alguns dias depois da Amazon registrar uma queda de US$ 1 trilhão em valor de mercado em meio à crise das big techs, conforme informou a Bloomberg.

Procurado pelo The New York Times, Brad Glasser, porta-voz da Amazon, não quis comentar sobre a situação.

No começo deste ano a empresa registrou um aumento de 7,2% na receita, o que representou a taxa de crescimento mais lenta dos últimos vinte anos. À época, o resultado foi justificado pela pandemia. Agora, após uma recuperação tímida, a Amazon deverá enfrentar uma queda de crescimento novamente, conforme alerta emitido a investidores.

Crise nas big techs

A demissão em massa da Amazon segue uma tendência enfrentada por gigantes da tecnologis nos últimos meses. Na semana passada, a Meta anunciou o corte de 13% de seus colaboradores em nível global, resultando na demissão de 11 mil funcionários. Anteriormente, aconteceu no Twitter, após a aquisição por Elon Musk.

Embora não tenha registrado nenhuma demissão, o TikTok anunciou uma redução na projeção de receitas de anúncios. O previsto era de lucrar US$ 10 bilhões, agora uma expectativa reduzida para US$ 10 bilhões.

Confome linha do tempo traçada pelo portal-norte americano, a Amazon já vinha congelando contratação em setembro. Já no mês seguinte, a big tech teria suspendido a contratação de mais de 10 mil vagas em varejo. Recentemente, veio o anúncio do congelamento de admissões em toda a empresa.

Publicidade

Compartilhe

Veja também

  • Como a Microsoft vem tentando estreitar os laços com os anunciantes

    Como a Microsoft vem tentando estreitar os laços com os anunciantes

    Carsten Rauh, head de native sales da Microsoft para EMEA e LATAM, comenta a oferta de soluções a agências e anunciantes e hábitos da audiência no Brasil

  • TNT levará UEFA Champions League para o YouTube

    TNT levará UEFA Champions League para o YouTube

    Canal exibirá, pela primeira vez em ambiente digital e gratuito, a competição continental