Publicidade

Opinião

Propósito todo santo dia

Sim, é possível unir um trabalho “normal” a causas e projetos transformadores que mudam o mundo, sem necessariamente precisar “dar uma guinada na carreira”


20 de março de 2024 - 14h44

(Crédito: Adobe Stock)

Todos os anos algumas palavras entram no dicionário corporativo. Empoderamento, narrativa, storytelling, e tantas outras já foram protagonistas. Cada qual com sua importância. Minha preferida é propósito, que não surgiu ontem, mas parece cada vez mais atual. É uma das poucas que penso não ter sido esvaziada (ainda bem!) e ter vindo para ficar (melhor ainda!). Aliás, há alguns anos converso com pessoas de diferentes idades, gêneros, estágios de carreira e, em todos os papos, cedo ou tarde, o termo aparece.

Apesar de gostar dela, recentemente, conversando com pares no trabalho, me incomodei um pouco com o rumo que ela me parece andar tomando. Estávamos conversando sobre mais um caso de uma pessoa que “cansada de trabalhar sem propósito, fez uma virada de carreira e foi buscar um emprego que o ajudasse a transformar o mundo”.

Adoro meu trabalho, me realizo profissionalmente e acredito que, ao dirigir uma empresa responsável e focada nos colaboradores, posso contribuir com a sociedade e mudar a vida de várias pessoas. Contudo, não me iludo: segue sendo uma companhia com metas, objetivos de receita e margem, mas isso não é impedimento para me associar a empreitadas incríveis e cheias de propósito.

Foi por meio do meu trabalho que pude topar com a Amigos do Bem, ONG fundada por Alcione, que se transformou em uma querida amiga.

Sob o slogan “Transformando Vidas”, a instituição está celebrando 30 anos de trabalho atuando para ajudar a modificar a vida de pessoas no Sertão do Brasil.

Você provavelmente conhece este projeto. Mas eu, há nove anos, não conhecia.

Na época tínhamos um colaborador que era voluntário da ONG e sugeriu que colaborássemos em uma de suas campanhas de arrecadação de alimentos cedendo faces publicitárias ociosas. Me interessei pela causa e decidimos fazer uma parceria.

As campanhas da ONG estão em nossas telas desde então.

À convite da Amigos do Bem, embarquei no final do ano passado para Pernambuco, para conhecer a realidade das pessoas que lá estão. Essa experiência foi transformadora.

Onde esperava encontrar tristeza e miséria, encontrei alegria, transformação e muita, muita esperança. Segundo os cálculos da Amigos do Bem, a ONG conta com mais dez mil voluntários e atualmente transforma 150 mil vidas mensalmente. Famílias inteiras tiveram sua história mudada, crianças que não tinham futuro hoje são os professores que garantem o futuro da próxima geração.

Acredito que ter um propósito dá um outro sentido à vida. Combinar minhas horas de trabalho à JCDecaux com algumas horas de dedicação a uma causa me deixa mais feliz, mais realizada, mais completa. Sim, é possível unir um trabalho “normal” a causas e projetos transformadores que mudam o mundo, sem necessariamente precisar “dar uma guinada na carreira” e passar a trabalhar com propósito.

Publicidade

Compartilhe

Veja também

  • W2W Summit 2024: Desafios da liderança e a arte de fazer escolhas

    W2W Summit 2024: Desafios da liderança e a arte de fazer escolhas

    Assista ao painel com Claudia Muchaluat, presidente da Intel Brasil, e Claudia Woods, CEO Latam da WeWork

  • Programa capacita mulheres negras para o mercado corporativo

    Programa capacita mulheres negras para o mercado corporativo

    Pacto Transforma conta com parceria da B3, Fundação Dom Cabral, Fundação Lenovo, Novonordisk, ADP Brasil e o apoio social da 99 Jobs e da consultoria Integrha