Papel & Caneta aborda “epidemia de solidão” em novo projeto

Buscar

Comunicação

Publicidade

Papel & Caneta aborda “epidemia de solidão” em novo projeto

Plataforma Openness contempla um filme e site produzidos por diretores de cena e jovens profissionais de agências, destacando a importância da saúde mental durante a pandemia

Karina Balan Julio
5 de maio de 2020 - 9h57

Pôsteres do site da plataforma “Openness”. (crédito: divulgação)

A saúde mental e a necessidade de conexões humanas se tornaram temas ainda mais discutidos no contexto do isolamento social. É pensando em conectar pessoas nesse momento sensível que o coletivo sem fins lucrativos Papel & Caneta lança nesta terça-feira, 5, a plataforma Openness, que convida a uma reflexão sobre solidão em tempos de pandemia.

O projeto é composto de um filme e um site produzidos remotamente e traduzidos em seis idiomas, fruto de um workshop virtual com diretores de cena e jovens profissionais de agências do mundo todo. O curta-metragem traz imagens que refletem o sentimento de isolamento, produzidas por 20 diretores de cena a partir de suas casas.

As sequências foram filmadas a partir de cidades como Nova York, Nova Deli, Rio de Janeiro, Londres, Barcelona, Paris e São Paulo. Ao todo, a equipe colaborativa captou mais de nove horas de filmagem. A produtora musical Janecy Nascimento, CEO da produtora Loud, liderou a criação da trilha original, e a produtora Landia foi parceira na finalização.

“Quisemos fugir de falar do vírus em si, que é o assunto mais abordado no momento. Nosso caminho foi falar de saúde mental e do efeito da solidão. A pandemia está despertando e deixando mais forte esse sentimento”, avalia André Chaves, fundador do Papel & Caneta.

Já o site do projeto traz pôsteres compartilháveis com mensagens para iniciar o diálogo com quem está longe durante a quarentena. “Dentro do isolamento, muitas pessoas tendem a se isolar cada vez mais. Quem tem um problema de saúde mental normalmente já se isola, e a pessoa que quer ajudar fica sem saber como dar o primeiro passo e saber o que falar sem invadir o território do outro. Nossa ideia é dar a chance para que se conectem entre si”, afirma André.

Para a construção do site, participaram profissionais de agências como AKQA, Wieden+Kennedy, Wunderman+Thompson, R/GA, BBDO e Africa. “Foi bem diferente resolver esse desafio em poucos dias, em home office, apenas por Google Hangout com as outras pessoas e em meio a uma pandemia”, comenta a diretora de arte Andrea Souza, da agência África, uma das participantes do projeto e vencedoras do Young Lions Brasil 2017.

Confira o filme “Openness” abaixo.

Publicidade

Compartilhe