Epic Games critica Apple com releitura de comercial icônico

Buscar

Comunicação

Publicidade

Epic Games critica Apple com releitura de comercial icônico

Após o jogo Fortnite ser removido da App Store, desenvolvedora fez uma releitura do clássico 1984, criticando monopólio da gigante da tecnologia

Taís Farias
14 de agosto de 2020 - 14h26

Filme “Nineteen Eighty-Fortnite” critica políticas de monopólio da Apple (Crédito: Reprodução)

Nessa quinta-feira, 13, a Apple removeu o Fortnite, jogo da Epic Games, de sua loja de aplicativos, a App Store. A ação foi o estopim para uma batalha que ganhou reverberações na justiça e também na comunicação. A decisão da Apple foi tomada após a desenvolvedora de jogos ter criado seu próprio sistema de pagamento, que dribla a taxa de 30% cobrada pela gigante da tecnologia para os desenvolvedores que vendem apps em sua loja. O uso do sistema alternativo também resultaria em descontos para os jogadores, já que sem a taxa cobrada pela Apple, as compras no jogo poderiam ser tabeladas em um valor mais baixo.

A briga das empresas entrou no campo da comunicação quando a Epic Games lançou uma paródia do icônico comercial “1984”, da Apple, como forma de criticar as políticas de monopólio da companhia. Lançado há 36 anos, o filme original foi uma criação da dupla Lee Clow e Steve Hayden, da então Chiat Day, que posteriormente foi integrada à TBWA, e dirigido por Ridley Scott. A produção foi inspirada no romance clássico de George Orwell, que leva o mesmo nome, e tinha o objetivo de criticar a IBM e suas práticas em relação ao mercado de computadores. Assista a versão original do anúncio:

O comercial foi apresentado no Super Bowl 1983 e é reconhecido, por muitos, como o responsável por transformar o evento em uma vitrine criativa. Foi a partir desta campanha simbólica que a Epic Games construiu sua crítica. O filme da desenvolvedora chamado “Nineteen Eighty-Fortnite” apresenta a mesma configuração do anúncio da Apple em uma animação. No lugar da ameaçadora figura de óculos, que aparece na tela é um personagem com uma grande cabeça de maçã em referência à companhia fundada por Steve Jobs. Assista:

“A Epic Games desafiou o monopólio da App Store”, diz o anúncio. “Em retaliação, a Apple está bloqueando o Fortnite de um bilhão de dispositivos. Junte-se à luta para impedir que 2020 se torne ‘1984’ ”. Com a mensagem, a empresa lançou a hashtag #FreeFortnite, que está mobilizando os fãs do jogo nas redes sociais. Uma versão com a comparação dos dois filmes foi divulgada na rede:

 

A produção do filme é da própria Epic Games, que centraliza 90% de sua publicidade. Localmente, a companhia trabalha com agências especializadas no universo dos games. No Brasil, a conta da desenvolvedora é gerida pela Cheil.

O caso também rendeu uma ação judicial da Epic Games contra a Apple. No processo a desenvolvedora cita o comercial original e sua premissa. “Passamos para 2020, e a Apple se tornou o que antes lutava contra: o gigante em busca de controle de mercados, bloqueando competição, enforcando inovação. A Apple é maior, mais poderosa, mais arraigada, e mais perniciosa que monopolistas do passado.”, aponta o texto da ação judicial, disponível na internet.

*Crédito da foto no topo: iStock

Publicidade

Compartilhe