Unicesumar cria projeto para combater violência ao professor

Buscar

Comunicação

Publicidade

Unicesumar cria projeto para combater violência ao professor

Em parceria com a CB+B Brasil, a iniciativa que conta com ações digitais pretende alcançar um milhão de assinaturas na petição online para ajudar a impulsionar a aprovação de um Projeto de Lei


24 de setembro de 2020 - 16h59

Ação quer conscientizar, mobilizar e mudar a legislação (Crédito: Divulgação)

A pandemia da Covid-19 tirou o contato físico entre alunos e professores, porém isso não acabou com a violência que os professores sofrem no dia a dia. De acordo com o Sindicato dos Professores, as violências sofridas pelos profissionais de educação são: agressões verbais (48%), assédio moral (20%), bullying (16%), furto e roubo e (8%), violência física (5%). Com isso, para tentar combater essas situação, a Universidade Unicesumar, em parceria com a agência CP+B Brasil, lançou um projeto de conscientização, mobilização e legislação.

A iniciativa conta com ações  digitais que pretendem mostrar essa violência sofrida pelos professores e alcançar um milhão de assinaturas na petição online para ajudar a impulsionar a aprovação de um Projeto de Lei, desenvolvido pelo professor Ivan Dias Motta e pela professora Andréa Lago, que tem o objetivo de estabelecer uma política pública
nacional de enfrentamento à violência escolar.

Entre as ações digitais da iniciativa estão dois filmes. Um deles passa rapidamente diversas notícias sobre casos reais de agressão à professores em diversas escolas espalhadas pelo Brasil e convida as pessoas a darem um print screen para visualizar as notícias e compreender a questão. Já, o outro filme pede para que as pessoas tirem o vídeo do mudo e ouçam a voz do professor, porém o único som audível é o barulhos dos alunos. Vejas os filmes abaixo.

“Mais que um filme emocionante, temos por trás de toda a campanha histórias reais de docentes que quase desistiram de suas profissões por se sentirem humilhados e ameaçados. Trazer a situação a público, é fazer com que as pessoas entendam que isso é uma urgência social e precisa de mudança. Esperamos que as pessoas se engajem na causa para tornar a lei verdadeira em nosso país”, afirmou Tiago Stachon, diretor executivo de marketing da EAD Unicesumar, em nota.

**Crédito da imagem no topo: reprodução

Publicidade

Compartilhe