A Florida Cup e o desafio pós pandemia

Buscar
Publicidade

Comunicação

A Florida Cup e o desafio pós pandemia

Evento realizado na cidade de Orlando contará com times da Europa e América do Sul

Valeria Contado
29 de junho de 2021 - 12h06

Jailson, goleiro do Palmeiras, clube campeão da edição 2020. (Créditos: Divulgação / Facebook)

Um dos maiores desafios dos países que estão com a vacinação contra a Covid-19 adiantada é a reaproximação com o público e a retomada gradual do turismo. Nos Estados Unidos, a evolução, ainda que não no ritmo ideal, já permite que eventos como o torneio de futebol Florida Cup sejam realizados no país com a presença de pessoas nos estádios, assim como está acontecendo com os jogos da Eurocopa, no continente europeu.

Em mais um ano em que nem o célebre Festival Cannes Lions , que premia os melhores trabalhos publicitários, foi realizado de forma presencial, contando com público e jornalistas, mas de forma híbrida, o futebol tem o desafio de, aos poucos, trazer as pessoas de volta para os estádios, além de incentivar o turismo.

Esse foi um dos motivos que levaram o brasileiro Ricardo Villar, CEO da Florida Cup, a mudar a data do evento, que tradicionalmente ocorria no começo do ano, a fim garantir a participação de equipes e público. A edição de 2021 tem data para ocorrer entre 25 a 28 de julho. “Para nós essa mudança foi a mais correta. Levamos em consideração todos os fatores que podem influenciar, até a escolha dos times”, comenta Villar.

Em 2020, a competição contou com os brasileiros Corinthians e Palmeiras, o colombiano Atlético Nacional e o americano New York City, e consagrou o alviverde paulista como campeão. Já a edição de 2021 não terá presença brasileira. O calendário nacional foi muito alterado, devido às inúmeras paralizações causadas pela pandemia, o que inviabilizou a participação. No entanto, a competição conta com times importantes no cenário do futebol mundial.

Participantes da edição 2021. (Crédito: Divulgação)

Os clubes escolhidos foram Arsenal FC e Everton FC, da Inglaterra, Inter de Milão da Itália e Millonarios FC da Colômbia. Segundo Villar, a perspectiva da organização é que a competição atraia os olhares para Orlando, também, como uma vitrine para eventos esportivos de grande porte.

A intenção, segundo o CEO, é pleitear a sede da Copa do Mundo, e a competição pode jogar um holofote nas estruturas do Camping World Stadium. “Estarmos, agora, de baixo do guarda-chuva da Florida City Sports, uma organização que faz eventos aqui em Orlando há 75 anos, as últimas 3 NFL (National Football League) foram feitas com eles”, explica.

Além disso, a procura pelos direitos de transmissão foram surpreendentes, de acordo com o executivo, que conta que a liderança fica com Inglaterra, Itália e Colômbia, pelos times que estarão presentes, mas que a procura dentro dos Estados Unidos também foi alta. “Localmente houve uma procura muito grande, de diferentes emissoras fazendo proposta, estamos caminhando para uma transmissão bacana”, comenta.

A organização, no entanto, ainda não divulgou os nomes de emissoras ou redes sociais que agregarão os direitos de transmissão da competição, e nem quem serão os ex-jogadores (legends) e influenciadores que estarão presentes da edição 2021 da Florida Cup, que tradicionalmente comandam outras ações em paralelo, durante o torneio.

Camping World Stadium, estádio que acontece a competição. (Crédito: divulgação)

O evento já conta com o apoio de parceiros comerciais, como a Universal Orlando Resort, que renovou o contrato com a Florida Cup até 2023, a rede de saúde AdventHealth, que irá fornecer suporte médico aos participantes a empresa de construção Lennar Homes, na casa há 5 anos, a Adidas, presente desde 2015 e o Visit Orlando que entrou para o evento agora.

A retomada do turismo em Orlando

O turismo é justamente outro desafio que envolve a condução da realização da Florida Cup em 2021 – ano em que, apesar da volta do público, o mundo ainda enfrenta uma pandemia. Algumas ações comumente realizadas durante o evento, como a after party, que ano passado contou com um show da cantora Ivete Sangalo, terão de ficar para o ano que vem. No entanto, as ativações que atraem o público das mais variadas idades devem permanecer dentro do Universal Orlando Resort, que é parceiro da competição.

Segundo levantamento realizado pela WTTC em parceria com a Oxfords Economis, e divulgado em abril deste ano, em 2020 a pandemia afetou diretamente o setor econômico direcionado ao turismo no mundo. Os gastos com voos domésticos caíram 45%, o que representou para os Estados Unidos uma diminuição de 42% na receita gerada por esse setor.

Por isso, esse momento de retomada se mostra muito importante para o cenário econômico norte americano. “Nosso torneio é o único que une América do Sul e Europa. Não só vai atrair o turismo interno, como também colocar holofote na cidade para o mundo”, diz Ricardo.

A Florida Cup pretende trazer a comunidade internacional de volta aos estádios de Orlando. Villar se mostra otimista quanto a isso, pois revela que, mesmo sendo um dos únicos eventos de extensão mundial com a capacidade de trazer as pessoas para junto, está sendo realizado de forma segura e atrativa. “O que estamos oferecendo ao mercado nessa volta do turismo, com segurança, é algo que levamos muito a sério, mas celebrando esse momento”, explica.

Por fim, o CEO revela estar otimista em relação ao evento, e a sua realização. “Esperamos uma celebração do retorno dos momentos únicos, de poder ir à eventos e expressar a paixão por esportes. Com um começo bem bacana de ticket salles, a resposta do mercado muito positiva”, comenta Villar.

Publicidade

Compartilhe