Nissan divulga mostra japonesa no Brasil

Buscar

Marketing

Publicidade

Nissan divulga mostra japonesa no Brasil

Companhia selou parceria com a Bunkyo e com campanha da Lew Lara faz convite à população para visitar a exposição ?O olhar japonês no Brasil?


16 de fevereiro de 2016 - 12h04

A montadora Nissan é uma das empresas que se juntou no apoio à exposição “O olhar japonês no Brasil”, que acontece até dia 28 de fevereiro no Pavilhão Japonês do Parque do Ibirapuera, em São Paulo.

Diversos eventos compõem a mostra: exposições de arte craft (cerâmica, boneca tôsso, arte em metal, oshibana, tintura natural, shippo-yaki), ikebana (técnica de arranjos florais), bonsai e concertos de música clássica japonesa. Para ajudar a divulgá-los à população, a Nissan, com sua agência LewLara, preparou uma série de anúncios que estão sendo veiculados em jornais e revistas da capital paulista.

A iniciativa é resultado de parceria inédita entre a Nissan e a Bunkyo – Sociedade Brasileira de Cultural Japonesa e Assistência Social – e comemora os 120 anos do tratado entre Japão e Brasil e os 60 anos da Bunkyo.

O Pavilhão Japonês passou por uma restauração ano passado e foi reaberto dia 6 de janeiro. Inspirado no Palácio Katsura, em Kyoto, ele foi construído pelo governo japonês e comunidade nipo-brasileira e inaugurado em 1954 como monumento que simboliza “a amizade e intercâmbio entre japoneses e brasileiros”. Na ocasião era comemorado o IV Centenário da Cidade de São Paulo.

Publicidade

Compartilhe

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”