O futuro de Chokito e outras marcas da Nestlé em jogo

Buscar

Marketing

Publicidade

O futuro de Chokito e outras marcas da Nestlé em jogo

A empresa estaria prestes a fechar a venda de parte de seu portfólio de chocolates, o que inclui Serenata de Amor, Lollo e Sensação

Luiz Gustavo Pacete
20 de setembro de 2017 - 9h05

A Nestlé estaria prestes a se desfazer de dez marcas de seu portfólio. A decisão é fruto de uma exigência do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), por meio de um processo aberto em 2004, dois anos após a aquisição da Garoto.

De acordo com o colunista Lauro Jardim, de O Globo, a venda já estaria fechada e deve ser anunciada em outubro. A principal cotada para assumir marcas como Serenata de Amor, Lollo, Chokito, Sensação e outras seria a Mondelēz, dona da Lacta. As duas empresas não comentaram a informação. Ao Meio & Mensagem, o Cade afirmou que o caso segue confidencial.

Em entrevista ao Meio & Mensagem, em maio de 2017, Augusto Lemos, general-manager da Mondelēz Brasil, destacou o foco da empresa em fortalecer o portfólio de Lacta, que acaba de passar por uma reformulação. “Temos muito o que crescer por meio de Lacta e de outras marcas fortes dentro do nosso portfólio”, ressaltou Lemos.

Em julho do ano passado, em resposta à possibilidade de se desfazer de várias marcas, entre elas, a Serenata de Amor, a Nestlé enviou um comunicado ao Meio & Mensagem afirmando que respeita ao Cade e a legislação vigente no Brasil.

“A Nestlé tem investido consistentemente na modernização de linhas de operação da fábrica, localizada em Vila Velha. Além disso, promoveu uma ampla renovação do portfólio da Garoto, aumentou os pontos de distribuição, resultando em maior exposição de suas marcas e fomentando o desenvolvimento dos seus parceiros comerciais”, escreveu a empresa sem dar pistas sobre o futuro de Serenata de Amor e outras marcas.

De acordo com um levantamento da Sonne Consultoria, a Garoto tem 12,5% de participação no segmento de bombons, seguida por Lacta, 8,5%, Nestlé, 6,4%, Sonho de Valsa, 6,3%, BIS, 5,5% e Hershey’s, 4%. Já no segmento de chocolates, a Nestlé possui 43% de share, a Mondelēz tem 31,2%, Hershey 4%, Grupo Ferrero, 3,7%, Arcor e Mars 2,5% cada uma.

A Nestlé comprou a Garoto em 2002. No entanto, em 2004, o Cade vetou o negócio alegando concentração. Desde então, a empresa recorre da decisão. Em maio do ano passado, o órgão reabriu o processo após uma nova proposta da Nestlé e informou que “a empresa se comprometeu a assumir obrigações estruturais e comportamentais. ”

Serenata do Amor é defendida na Câmara

Em julho do ano passado, uma possível venda da marca Serenata de Amor virou assunto na Câmara dos Deputados. O parlamentar capixaba Evair de Melo aproveitou a oportunidade de discursar na tribuna para tratar do futuro da marca.

“A venda do principal produto da Garoto, o Serenata, preocupa. Não sabemos se isso irá impactar na produção e na diminuição dos postos de trabalho. A Garoto é um patrimônio do Espírito Santo, somos a favor que se resolva este impasse entre a Nestlé e a Garoto, mas sem perdas para a fábrica e os capixabas”, disse o político se referindo ao processo no Cade.

Veja o vídeo que explica o caso:

 

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • serenatadeamor

  • lollo

  • nestle

  • sensacao

  • garoto

  • cade

  • chokito