E-commerce fatura R$ 23,6 bilhões no primeiro semestre

Buscar

Marketing

Publicidade

E-commerce fatura R$ 23,6 bilhões no primeiro semestre

Pesquisa Webshoppers, da Ebit, projeta um crescimento de 12% no faturamento e de 4% no tíquete médio em 2018


29 de agosto de 2018 - 14h21

O comércio eletrônico, na primeira metade do ano, contou com um faturamento de R$ 23,6 bilhões (crédito: Bruce Mars/Pexels)

No primeiro semestre de 2018, a Copa do Mundo e o Dia dos Namoradores ajudaram a impulsionar o e-commerce. O faturamento do comércio eletrônico foi de R$ 23,6 bilhões, alta de nominal de 12,1%. No mesmo período, 54,4 milhões de pedidos foram registrados. Os dados são da 38ª edição do estudo Webshoppers, realizado pela Ebit desde 2001. Para a pesquisa, a empresa focada em mercado online coletou mais de 30 milhões de avaliações realizadas com os consumidores, em mais de 25 mil lojas virtuais.

O segundo semestre deste ano, no entanto, pode ser afetado por conta da eleição presidencial. Segundo a pesquisa, o que auxiliará no crescimento do setor é a tríade Dia das Crianças, Black Friday e Natal. Com isso projeta alta de 12% no faturamento, de 8% no número de pedidos e de 4% no tíquete médio em 2018.

De acordo com o Webshoppers, compras realizadas via smartphones e tablets tiveram alta nominal de 30%, em comparação com 2017, somando 17,4 milhões de pedidos e movimentando R$ 6,7 bilhões. De acordo com Kaine Monteiro, head de inteligência de Ebit, recém-adquirida pela Nielsen, em nota, os brasileiros definitivamente adotaram o dispositivo móvel para aquisição de produtos.

Nos primeiros seis meses de 2018, 27,4 milhões de pessoas realizaram pelo menos uma compra no mercado online, 7,6% a mais do que no mesmo período de 2017. O Webshoppers também constatou um aumento nos pagamentos à vista: de 48,2, no primeiro semestre de 2017, para 52,1%, neste ano.

A pesquisa da Ebit selecionou uma amostra de 7.197 respondentes, entre 30 de maio e 4 de julho para identificar os canais de entrega brasileiros. A retirada em loja contou com 10% da participação no volume de vendas do comércio online, os Correios, com 37%, e as transportadoras privadas, com 53%. Em termos de satisfação, 87,4% gostaram do serviço prestado por meio da retirada na própria loja e 16,6% não ficaram contentes com os serviços prestados pelos Correios. O estudo ainda aponta a vulnerabilidade do e-commerce por conta do transporte viário brasileiro. A greve dos caminhoneiros, por exemplo, afetou pelo menos três semanas as vendas e entregas do comércio eletrônico.

Além disso, a Ebit traz para o relatório dados de Digital Commerce que, além dos dados de e-commerce referentes à venda de bens de consumo, reúne informações relativas a outros modelos de negócios digitais. Segundo a pesquisa, todos esses setores – e-commerce, turismo, ingressos, venda de produtos novos e usados de empresas para consumidores (B2C) e de consumidores para consumidores (C2C) – somaram um volume financeiro de R$ 112,19 bilhões no primeiro semestre deste 2018.

Veja outros dados do relatório Webshoppers:

 

 

 

 

*Crédito da foto no topo: Pixabay/Pexels

Publicidade

Compartilhe